Incômodo mais frequente

O número de alagamentos ligados a marés altas que castigam a costa leste dos EUA está subindo com o aquecimento global

As águas tomam a calçada às margens do Canal de Washington, na capital americana, após a maré alta de 20 de setembro: um tipo de ocorrência cada vez mais comum em diversos trechos do litoral atlântico dos Estados Unidos (Crédito: foto: Mark Wilson / Getty Images North America / AFP)

As águas do Canal de Washington na calçada, molhando os pés de um banco de parque durante a maré alta retratada nesta foto de 20 de setembro na capital dos Estados Unidos, já não podem ser consideradas algo extraordinário. Ao contrário: marés altas associadas a alagamentos estão se tornando lugar-comum em muitas cidades da costa leste dos EUA, e a expectativa é que a situação piore à medida que o aquecimento do clima e o derretimento de camadas de gelo aceleram a ameaça a monumentos, estradas e refúgios de vida selvagem da região.

Embora em geral não superem um metro de profundidade, essas inundações levam sal aos poços, exterminam gramados e bosques, alagam porões, causam interrupções no tráfego e afetam a drenagem das águas originárias de tempestades. Algumas regiões e cidades tentam combater o problema com obras que certamente não vão ser baratas. Miami Beach (Flórida), por exemplo, está aumentando impostos para pôr em prática um projeto de US$ 400 milhões destinado a elevar o nível de várias ruas, instalar bombas e ampliar diques marinhos.

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus