Pausa revigorante

Estudo finlandês mostra que usar um tempo no horário de almoço para caminhar ou praticar relaxamento consciente traz resultados positivos tanto para empregados quanto para empregadores

Andar em um parque na hora do almoço pode reduzir bem o nível de estresse e fadiga no fim do dia (Foto: iStockphotos)

A reforma trabalhista em discussão no Congresso pode permitir que o horário de almoço seja reduzido de comum acordo entre empregado e empregador. A ideia parece boa a princípio – o funcionário sai mais cedo do trabalho e a empresa pode poupar equipamentos e energia elétrica, por exemplo –, mas um estudo publicado no fim de março na revista americana Journal of Occupational Health Psychology conclui que a questão tem outro ângulo muito importante a ser considerado.

Segundo pesquisadores do Departamento de Psicologia da Universidade de Tampere (Finlândia), usar um tempo dentro do horário de trabalho para caminhar brevemente por um parque ou praticar um pouco de relaxamento consciente pode ter efeitos substanciais sobre nossos níveis de concentração, estresse e fadiga no fim do dia. O estudo reuniu participantes de áreas nas quais a capacidade de raciocínio é bastante exigida, como administração pública, educação, engenharia e finanças.

As pessoas selecionadas foram divididas aleatoriamente em dois grupos, cada qual com uma atividade programada para o horário de almoço de todos os dias úteis durante duas semanas – tudo definido com antecedência entre pesquisadores e participantes. Um dos grupos fez caminhadas de 15 minutos em um parque, sem grande exigência física. Enquanto isso, o outro praticou 15 minutos de exercícios de relaxamento consciente, que englobavam relaxamento muscular progressivo, respiração profunda e atenção aos pensamentos e sensações que emergiram naqueles instantes, sem julgá-los.

Os participantes foram contatados antes, durante e depois da experiência duas vezes por semana, em horário próximo ao final de seu expediente de trabalho, para passar informações aos pesquisadores sobre suas condições, naquele momento, relativas a concentração, estresse e fadiga. A cada noite, também, eles respondiam a um pequeno questionário sobre sua avaliação quanto à pausa no horário de almoço e se durante esses momentos eles haviam conseguido se desligar do trabalho.

Relaxamento eficiente

As pesquisadoras Jessica de Bloom, Marjaana Sianoja e colegas do Departamento de Psicologia da Universidade de Tampere descobriram, a partir dos dados colhidos, que os dois grupos pesquisados exibiram maior concentração no trabalho e quedas substanciais nos níveis de estresse e fadiga no fim do dia, na comparação com os dias em que usaram as pausas regulares para o almoço da forma habitual. Em relação ao estresse, os exercícios de relaxamento consciente foram mais eficientes do que a caminhada.

O relaxamento seria mais indicado em momentos em que a pessoa estiver sobrecarregada no trabalho (Foto: iStockphotos)

“Essas duas atividades reconstituintes têm benefícios sobre o bem-estar em um ambiente de trabalho real – em comparação com as configurações de laboratório com alunos participantes apenas – e os benefícios são observáveis algumas horas após o intervalo para o almoço”, diz Marjaana. Aos grupos testados não foi dada a opção de selecionar qual atividade preferiam fazer, mas Marjaana acredita que, se houver possibilidade de escolha, os efeitos positivos serão ainda mais intensos. A princípio, ela propõe que o relaxamento consciente seja empregado em dias que a pessoa está sobrecarregada de trabalho; já a caminhada no parque seria a melhor alternativa quando a necessidade maior é a de mudar de cenário e distrair-se.

A pesquisa sugere também que a produtividade das empresas pode ser beneficiada com essas atividades: “Caminhadas no parque e exercícios de relaxamento estiveram relacionados ao aumento da concentração durante a tarde e, portanto, poderiam ter potencial para manter a produtividade durante o dia de trabalho”, avalia. No caso brasileiro, pode ser até que empregados e empregadores, no fim das contas, deem preferência à redução do expediente completo de trabalho cortando o horário de almoço. Se, no entanto, deixarem a pausa para o almoço intacta, já sabem como se beneficiar dessa medida.


Efeitos benéficos

Segundo o estudo da Universidade de Tampere, exercícios de relaxamento consciente e caminhadas no parque durante o intervalo para almoço:

Aumentam a concentração no trabalho
Reduzem o estresse
Reduzem a fadiga

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus