1% mais rico do mundo ameaça meta climática do Acordo de Paris, diz estudo

Relatório da Oxfam ataca "consumo de luxo de carbono", apontando que emissões de jatinhos, iates e viagens espaciais excedem em 30 vezes os limites necessários para manter o aquecimento global abaixo de 1,5ºC

As emissões carbônicas do grupo populacional que constitui o 1% mais rico do mundo deverão exceder em 30 vezes o limite que seria necessário para a manutenção do nível de emissões que evitaria o aumento da temperatura global em 1,5ºC até 2030, constatou um estudo da ONG Oxfam.

Ao mesmo tempo, a pegada climática dos 50% mais pobres no mundo deve se manter bem abaixo do limite até 2030, de acordo com a pesquisa divulgada na quinta-feira (04/11) na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), que transcorre em Glasgow, Escócia, até 12 de novembro.

O estudo intitulado Desigualdade de carbono em 2030 – Emissões de consumo per capita e a meta de 1,5° C foi encomendado pela Oxfam e baseou-se em trabalhos do Instituto de Política Ambiental Europeia (IEEP) e do Instituto Ambiental de Estocolmo (SEI).

O Acordo de Paris de 2015 estipulou o objetivo de um aumento máximo de 1,5ºC da temperatura global até 2030, em relação à era pré-industrial, mas as atuais promessas de redução das emissões estão muito aquém do necessário, indica o estudo.

Para que esse limite almejado possa ser alcançado, cada habitante do planeta teria que emitir uma média de apenas 2,3 toneladas de dióxido de carbono (CO2) por ano até 2030, ou cerca de metade das emissões atuais de cada ser humano.

“Pequena elite parece ter passe livre para poluir”

Entre as principais conclusões do estudo estão que, em 2030, a metade mais pobre da população mundial vai continuar emitindo bem menos do que o nível proposto para o limite almejado de 1,5ºC, enquanto o 1% mais rico – que representa uma população menor que a da Alemanha – está a caminho de liberar 70 toneladas de CO2 por pessoa por ano, caso o consumo atual continue.

No total, esse 1% mais rico será responsável por 16% das emissões totais até 2030 (em 1990, eram 13%). Em contrapartida, os 50% mais pobres estarão em 2030 liberando uma média de uma tonelada de CO2 por ano.

“Uma pequena elite parecer ter passe livre para poluir”, comenta Nafkote Dabi, que chefia a política climática da Oxfam. “Suas emissões excessivas estão alimentando condições climáticas extremas em todo o mundo e colocando em risco a meta internacional de limitar o aquecimento global.”

“As emissões do 1% mais rico do mundo podem nos colocar acima da meta estabelecida para 2030. Isso seria catastrófico para quem está em situação de maior vulnerabilidade, que já enfrenta tempestades, fome e desamparo”, afirmou Dabi.

Centenas de jatos particulares na COP26

O estudo frisa que a tarefa de manter a meta estipulada de 1,5ºC não está sendo dificultada pelo consumo da vasta maioria dos habitantes do planeta, mas pelas emissões excessivas de uma minoria extremamente exclusiva. Entre as mensagens do relatório, está o pedido para que governos “restrinjam o consumo de luxo de carbono” de jatos particulares, iates e viagens espaciais.

Trata-se de uma crítica bastante direta aos próprios participantes da COP26: vários líderes mundiais e personalidades chegaram à conferência sobre o clima em jatos particulares, entre eles o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, o empresário bilionário Jeff Bezos e dezenas de executivos de setores que promovem energias renováveis. O diário britânico Daily Mail contabilizou mais de 400 jatos particulares, o que representaria 13 mil toneladas de CO2, o equivalente ao montante emitido anualmente por mais de 1.600 britânicos.

Bezos, por sinal, foi alvo também de críticas em relação a suas aventuras espaciais. No início de 2021, o miliardário foi para o espaço em seu foguete New Shepard, Richard Branson foi ao espaço em seu Virgin Galactic e a empresa de Elon Musk promete levar humanos a Marte. As emissões de um único voo espacial de 11 minutos chegam a pelo menos 75 toneladas, o que superaria as emissões vitalícias do 1 bilhão mais pobre da Terra.

pv/av (Lusa, ots)

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago