WhatsApp: fuja dos trotes e das fake news

O aplicativo facilita muito a vida pessoal e profissional, mas também virou uma central de boatos, que já levou até à morte de pessoas; saiba como identificar essas mentiras

Imagem ilustrativa da página oficial do WhatsApp

Lançado em 2009, o WhatsApp transformou-se em uma ferramenta fantástica de comunicação, utilizada por mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo. Adquirido pelo Facebook por cerca de US$ 20 bilhões, o aplicativo chamou a atenção também das empresas, que enxergaram seu potencial para vendas ou marketing, seja para receber pedidos, sugestões ou para enviar mensagens com ações promocionais – grandes companhias fazem uso da ferramenta para interagir com seus clientes.

Infelizmente, o popular aplicativo também se transformou em uma das principais formas de disseminação de notícias falsas, ocupando um lugar que pertencia, até então, ao e-mail. E o pior de tudo isso: com a ajuda de gente como nós. Como? Basta observar quantos conhecidos seus costumam compartilhar mensagens pelo WhatsApp sobre “cachorros de raça para doação, pois os donos faleceram”, “novos valores exorbitantes de multas que acabam de ser anunciados”, “hospitais que estão doando latas de leite que estão para vencer”, “alertas de que o WhatsApp passará a ser pago” e muitos outros temas. Em comum, elas têm o fato de que pedem para que o destinatário compartilhe o texto com todos os grupos de WhatsApp. Ah, e o fato de serem todas falsas…

Por ingenuidade, falta de tempo ou mesmo irresponsabilidade, é muito comum as pessoas simplesmente lerem esses textos e repassarem, sem checar a veracidade. E tornam-se, mesmo que sem querer, cúmplices na divulgação de grandes mentiras, que podem causar muitos problemas. Um exemplo disso são os números de telefones que são incluídos nesses textos. Há casos de pessoas que passam meses recebendo ligações sobre falsas doações que traziam como número de contato os telefones de suas casas. E uma prova de que a questão pode crescer e ficar muito séria é o caso do linchamento de 7 pessoas na índia, motivado por notícias falsas que foram compartilhadas pelo aplicativo.

Para não adotar uma atitude digital irresponsável, basta tomar alguns cuidados simples, antes de compartilhar conteúdos pelo WhatsApp:

  • Desconfie sempre de textos nos quais é pedido para você compartilhar a informação com todos os seus contatos
  • Preste atenção a erros gramaticais ou ortográficos na mensagem. Empresas reais costumam revisar seus textos
  • Links ou pedidos de informações pessoais são indícios de golpes virtuais
  • Sempre faça uma busca na internet pelo tema da mensagem mais a palavra “boatos”. Sites como o Boatos.org costumam trazer artigos desmascarando essas pegadinhas.

E o que fazer ao descobrir que alguém te mandou um boato? Se for um amigo seu quem enviou, vale mandar uma resposta a ele explicando que se trata de uma mentira e já pedindo para que ele sempre verifique a veracidade antes de mandar uma mensagem para você (#broncanele). Caso a mensagem tenha vindo de um telefone desconhecido, o negócio é denunciar esse número. Como o remetente não estará na sua lista de contatos, surge uma caixa de mensagem na tela do app que permite denunciar o número como spam e bloqueá-lo no seu aparelho.

O WhatsApp é uma ótima ferramenta. Muito útil para comunicação ágil, tanto pessoal, quanto profissional. Mas precisa ser utilizada com responsabilidade.

*Fabiana Macedo é CEO da Punto Comunicação

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus