A lua “pendurada” nos anéis de Saturno

Em foto da sonda Cassini divulgada pela Nasa, o satélite Tétis parece pender dos anéis A e F

Tétis “pendurada” nos anéis saturninos, vista pelas lentes da sonda Cassini. Crédito: Nasa/JPL-Caltech/Space Science Institute

Tal como uma gota de orvalho pendurada em uma folha, a lua Tétis parece estar presa aos anéis A e F de Saturno a partir da perspectiva mostrada nesta imagem da sonda Cassini, lançada em 1997 pela Nasa em parceria com a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Espacial Italiana (ASI).

Por mais de uma década, a Cassini compartilhou as maravilhas de Saturno e sua família de luas geladas. Ela nos levou a conhecer mundos surpreendentes, em que rios de metano correm para um mar de metano e jatos de gelo e gás estão lançando material no espaço a partir de um oceano de água líquida que pode abrigar os ingredientes para a vida como a que conhecemos na Terra.

LEIA TAMBÉM: Nasa e ESA mostram foto mais recente de Saturno tirada pelo Hubble

O último contato com a Cassini foi em 15 de dezembro de 2017. Depois de um sobrevoo de Titã, a maior lua de Saturno, a nave mergulhou na atmosfera do planeta.

Com 1.062 quilômetros de diâmetro, Tétis foi descoberta em 1684 pelo astrônomo Giovanni Cassini. Tal como as partículas dos anéis, esse satélite natural é composto principalmente de gelo. O espaço no anel A através do qual Tétis é visível é a Brecha de Keeler, mantida limpa pela pequena lua Dafne (não visível na foto).

A perspectiva da foto nos mostra o hemisfério de Tétis voltado para Saturno. A imagem foi captada em luz visível em 14 de julho de 2014.