A natureza pode prevenir ou diminuir doenças mentais

Nova pesquisa científica sugere que um fator crítico para a saúde mental está sendo constantemente negligenciado: as áreas verdes

(Foto: Giulio Paletta)

Já existe uma pilha de estudos que aponta uma forte conexão entre áreas verdes e bem-estar mental, melhora no sistema imunológico, além de estímulo à atividade física e à interação social. Na semana passada, outra pesquisa foi publicada na Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) reforçando essa linha.

Usando dados dos registros de saúde dinamarqueses para mais de 940.000 crianças nascidas entre 1985 e 2003, os pesquisadores analisaram seus resultados de saúde mental em conjunto com o espaço verde em torno de suas casas. Eles descobriram que o risco relativo de desenvolver um distúrbio psiquiátrico na adolescência ou na idade adulta era significativamente menor – de 15 a 55% – para aqueles cercados por áreas verdes.

Foram levadas em conta a idade e o status socioeconômico dos pais, a história familiar de saúde mental, a urbanização e os fatores socioeconômicos do município (renda média, educação e desemprego), mesmo assim, o espaço verde continuou tendo um benefício protetor sobre a saúde mental.

A associação mais forte entre exposição a ambientes naturais e aumento do risco de desenvolver um distúrbio psiquiátrico apareceu entre  aqueles que viveram no centro urbano de Copenhague, enquanto na área rural da Dinamarca essa relação foi mais fraca.

O verde ao redor afeta a saúde mental. (Crédito: Giulio Paletta)

Há perguntas que o estudo não pode responder, incluindo se as pessoas com maior risco genético para doença mental estariam mais inclinadas a escolher áreas urbanas mais densas, ou se fatores socioeconômicos não medidos como taxas mais altas de criminalidade e espaços verdes de menor qualidade poderiam desempenhar um papel em resultados de saúde mental.

Mas esta pesquisa sugere que vivenciar ambientes naturais em ambientes urbanos ajuda as pessoas a se recuperarem do constante estresse causado pela baixa qualidade da vida na cidade.

Mais um estudo que destaca a ligação entre espaço verde e saúde mental é sempre uma boa ocasião para lembrar que aqueles que planejam estradas, parques, escolas e prédios desempenham um papel importante, embora indireto, como guardiões da saúde mental. E que a população deve se sentir fortalecida a exigir espaços verdes ao seu redor.

Psicologia in natura

blog comments powered by Disqus