A temporada de queimadas chegou – e a fumaça irá direto para os pulmões

Aumento de material particulado das queimadas está ligado à redução do peso de recém-nascidos e ao aumento da prevalência de doenças respiratórias e de atendimentos ambulatoriais e em prontos socorros

Queimada em área próxima a Porto Velho (RO) em agosto de 2020: entre os efeitos danosos que elas trazem estão os problemas respiratórios. Crédito: Bruno Kelly/Amazonia Real/Wikimedia Commons

O sistema de saúde sobrecarregado pela pandemia terá que cuidar dos graves problemas respiratórios na temporada de queimadas que já começou. As queimadas geram muito material particulado. A fração menor e mais leve dele, o PM2.5, permanece na atmosfera tempo o suficiente para cair a milhares de quilômetros da origem. Em 2019, o dia que virou noite em São Paulo foi um exemplo desse impacto.

Um trabalho da Global Climate and Health Alliance fez estudos de caso no Brasil, na Austrália e no Canadá para analisar o impacto das queimadas e incêndios florestais na saúde das populações. Aqui, eles se referem a estudos na Amazônia que associam o material particulado das queimadas à redução do peso de recém-nascidos, aumento da prevalência de doenças respiratórias principalmente em crianças e idosos e o aumento de atendimentos ambulatoriais e em prontos socorros. Eventos todos concomitantes com as queimadas. Ainda existem poucos trabalhos indicando os efeitos ao longo da vida.

O capítulo brasileiro do trabalho dá um especial destaque aos impactos sobre as comunidades indígenas da região. O Estadão comentou o trabalho.

Não só de queimadas morrem os pulmões. Um trabalho publicado na Nature estima que 1 milhão de pessoas em todo o mundo morreram prematuramente em 2017 por problemas respiratórios causados pela queima de combustíveis fósseis. Os pesquisadores atribuíram metade destas mortes à queima de carvão. O trabalho é resultado da combinação de dados de fontes de emissão dos PM2.5, de modelos meteorológicos e dados de saúde do mundo todo, uniformizando métodos e variáveis para manter a comparabilidade entre fontes e entre territórios. A Science Daily publicou um comentário sobre o trabalho.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago