Abelha-robô

O inseto-robô de Harvard: múltiplos usos

O inseto-robô de Harvard: múltiplos usos

O inseto-robô de Harvard: múltiplos usos

Uma equipe da Universidade Harvard (EUA) deu mais um grande passo na miniaturização de drones ao construir um com apenas 80 miligramas de peso, o mesmo de vários insetos. Apelidado robobee (abelha-robô), o aparelhinho voa por até 30 minutos e, vantagem principal, “pousa” em qualquer superfície, graças à eletricidade estática. Por enquanto, o inseto-robô só consegue aderir a uma superfície acima dele, mas o pesquisador Moritz Graule, de Harvard, promete que isso vai evoluir logo. Um robô voador dessas dimensões tem imensas possibilidades de aproveitamento – inclusive a espionagem. Os mais pessimistas já veem empresas e governos “instalando” insetos-robôs nos lares para espionar seus moradores.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança