Abelhas usam cocô de animais para afastar vespas assassinas

Estudo revela o primeiro caso documentado de abelhas usando ferramentas e coletando materiais não vegetais

Abelhas reunidas em torno da entrada da colmeia, onde aplicaram bolas de esterco defensivas: estratégia antes desconhecida. Crédito: Heather Mattila

Abelhas melíferas asiáticas (Apis cerana) coletam fezes de animais e as organizam cuidadosamente em torno das entradas de suas colmeias para deter os ataques de vespas gigantes, de acordo com um estudo de uma equipe internacional de pesquisadores liderada por Heather Mattila, professora associada de ciências biológicas do Wellesley College (EUA). O trabalho foi publicado no periódico de acesso aberto “PLOS ONE”.

As abelhas desenvolveram uma variedade de estratégias para desviar os ataques de predadores fortemente blindados, como as vespas. Elas incluem exibições visuais sincronizadas, assobios ou envolver invasores em uma bola de abelhas até que eles superaquecem. Agora, os pesquisadores descobriram uma nova ferramenta em seu arsenal defensivo: fezes de animais.

Vespas gigantes, como a Vespa soror, são predadores vorazes que lançam ataques em grupo contra as colônias de abelhas. Elas matam milhares de operárias e posteriormente assumem o controle do ninho, exterminando crias indefesas. Em experimentos observacionais de três apiários no Vietnã, a equipe descobriu que as abelhas coletaram pequenas bolas de esterco de animal. Depois, aplicaram tais bolas em pontos próximos à entrada do ninho em resposta a visitas de V. soror, mas não em resposta a visitas de uma espécie de vespa menor (Vespa velutina), que não realiza ataques em massa.

Mais manchas

Os pesquisadores também descobriram que as colônias expostas às secreções das glândulas que as vespas gigantes usam para marcar os ninhos para o ataque tinham mais manchas fecais ao redor da entrada do ninho após 6 horas do que as colônias expostas a um controle. Os zangões eram menos propensos a pousar nas entradas dos ninhos com grande número de manchas fecais. Eles também passavam 94% menos tempo mastigando na entrada se pousassem. Isso sugere que tal comportamento incomum pode desempenhar um papel protetor ao impedir a tomada do ninho.

“Não apenas documentamos o primeiro exemplo de uso de ferramentas pelas abelhas melíferas na natureza”, disse Mattila. “O próprio ato de procurar fezes é outro primeiro exemplo documentado para as abelhas”.

Os autores sugerem que as fezes dos animais podem conter compostos que detêm as vespas atacantes. Esses compostos podem ainda mascarar os marcadores químicos que as vespas usam para atacar as colônias.

Os autores acrescentam: “O uso de fezes de animais pelas abelhas asiáticas mostra o impressionante conjunto de armas que desenvolveram para defender suas colônias contra um de seus predadores mais perigosos. Também destaca as razões pelas quais as abelhas europeias, que não têm essas defesas, sucumbem aos zangões gigantes tão facilmente quando são introduzidos no alcance um do outro”.

“Embora mais pesquisas sejam necessárias para determinar exatamente quais propriedades das fezes dos animais repelem os vespões, a barreira que as abelhas criam é uma defesa eficaz contra seus ataques”, disse Mattila. “O que também é interessante é que as próprias abelhas não são repelidas pelas fezes dos animais.”

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago