• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Arqueologia02/12/2021

Ancestral humano desconhecido deixou pegadas estranhas na África

Marcas deixadas pelas passadas, quando fossilizadas, também são ferramenta de estudo dos arqueólogos. Crédito: chezbeate/Pixabay

02/12/21 - 11h15min - Atualizado em 02/12/21 - 11h15min

Uma equipe internacional de pesquisadores que reanalisaram pegadas fósseis encontradas em Laetoli, no norte da Tanzânia, concluiu que um ancestral dos humanos modernos pode ter andado sobre duas pernas há cerca de 3,6 milhões de anos, com um estranho passo cruzado. Suas descobertas, relatadas em artigo publicado na revista Nature, oferecem novos conhecimentos sobre as origens do bipedalismo.

Na década de 1970, cinco pegadas consecutivas descobertas no local de Laetoli forneceram as primeiras evidências definitivas de bipedalismo em hominídeos. Essas impressões foram propostas como tendo sido feitas pelo Australopithecus afarensis – a mesma espécie do famoso esqueleto “Lucy”.

Outras pegadas, descobertas ao mesmo tempo e posteriormente cobertas, geraram debate. Alguns pensaram que eram feitas por um urso andando nas patas traseiras; outros, que foram deixadas por um tipo diferente de hominídeo.

Diversidade subestimada

Em 2019, Ellison McNutt, do Ohio University Heritage College of Medicine (EUA), e seus colegas escavaram novamente essas pegadas de formato incomum. A equipe as comparou com impressões feitas por ursos, chimpanzés e humanos, e descobriu que eram mais semelhantes às feitas por hominídeos do que por ursos.

Análises de vídeo do comportamento do urso-negro americano selvagem revelam que o animal quase nunca anda sobre as patas traseiras. Os autores também observam que, embora milhares de fósseis de animais tenham sido encontrados em Laetoli, nenhum é de ursos.

Eles concluíram que as pegadas foram deixadas por um hominídeo ainda não identificado que andava com passos cruzados incomuns. Cada pé cruza a linha média do corpo para tocar na frente do outro pé.

Essas descobertas são parte de um crescente corpo de evidências que sugere que havia uma diversidade subestimada de hominídeos nesse período.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

África