Arqueólogos encontram membros amputados em escavações da Batalha de Waterloo

Restos mortais humanos são raros de se descobrir nos campos de batalha de Walterloo

Batalha de Waterloo
Membro amputado encontrado em escavação no local da Batalha de Waterloo / Foto: Chris van Houts / Waterloo Uncovered

A Batalha de Waterloo, ocorrida em 1815 onde hoje fica a Bélgica, foi um dos conflitos mais importantes por marcar o fim da Guerra de Cem Dias e a última batalha de Napoleão Bonaparte e seu fim como Imperador da França.

Agora, arqueólogos e voluntários que escavam os locais da batalha estão descobrindo artefatos que ajudam a contar os detalhes desta história.

Neste mês de julho, o Waterloo Uncovered, projeto que promove as escavações e a preservação da história da Batalha, divulgou novas informações e fotos do que foi encontrado nas pesquisas.

E o que mais surpreendeu os arqueólogos foi a descoberta de ossos humanos enterrados. Foram quatro ossos de pernas humanas encontrados próximos uns dos outros. Os pesquisadores acreditam que, naquele local onde os restos foram achados, funcionava um hospital de campanha e membros amputados de soldados feridos eram descartados ali perto.

Estima-se que esse hospital de campanha tenha tratado cerca de 6 mil soldados aliados, ou seja, que pertenciam à coalizão formada por Inglaterra, Rússia, Prússia e Áustria contra a França de Bonaparte. Foram cerca de 500 amputações no local, por conta de ferimentos causados por canhões, balas de fuzil, sabres e lanças de cavalaria.

Esta é a primeira vez que o projeto Waterloo Uncovered encontra restos humanos, ou seja, eles são um achado incomum nos campos de batalha de Waterloo. Apesar das estimativas apontarem que morreram na batalha 25 mil franceses, 15 mil aliados e 7 mil prussianos, apenas um esqueleto completo foi descoberto nos tempos modernos na área.

Membro amputado encontrado em escavação no local da Batalha de Waterloo / Foto: Chris van Houts / Waterloo Uncovered

O esqueleto era de um soldado alemão, que se acredita-se ser o soldado Friedrich Brandt de Hanôver, devido à caixa de madeira com monograma encontrada enterrada com ele. Os restos mortais foram descobertos em um estacionamento durante a construção de um novo museu perto da colina Lion´s Mound, em Braine-l’Alleud, Bélgica, em 2012.

Houve várias outras descobertas de ossos ao redor do campo de batalha, mas poucos deles foram encontrados no contexto de uma escavação arqueológica.

Dos corpos dos soldados que morreram na Batalha, muitos foram enterrados em valas comuns, enquanto outros, uma minoria, devem ter sido enterrados em sepulturas individuais. Outros foram empilhados em piras funerárias coletivas e incinerados. Destes que foram enterrados, alguns foram encontrados por fazendeiros durante o preparo da terra para plantação, ao longo dos anos, e então reenterrados em outros locais. Portanto, achados como estes recentes são raros.

Outros restos mortais tiveram uma destinação mais inusitada. Acredita-se que muitas ossadas dos soldados tenham sido coletadas por companhias inglesas de fertilização da metade para o fim do século 19 e moídas para serem transformadas em adubo para fazendas britânicas.

Além disso, dentes destes soldados também foram saqueados e usados como dentaduras, já que eles eram mais bonitos e bem conservados, por pertencerem a pessoas jovens, do que aqueles pilhados de pessoas que morreram de velhice ou por doença.

Fonte: Waterloo Uncovered

 

 

 

blog comments powered by Disqus