Fique calmo: a Terra não vai ser destruída por um asteroide

Falamos com a NASA e astrônomos para saber se o asteroide FT3 é uma ameaça real ao nosso planeta, conforme noticiaram alguns sites

asteroide NASA
Asteroide FT3 vai passar próximo da Terra / Foto: Pixabay

Imagem de urikyo33 por Pixabay

Na última sexta-feira (5), começaram a aparecer notícias em alguns sites sobre um asteroide, batizado de FT3, que estaria a caminho da Terra. A matéria alarmista surgiu primeiro no tabloide britânico Express, e foi replicada por alguns veículos brasileiros e estrangeiros.

Então fomos atrás das informações sobre o asteroide diretamente no departamento de comunicação da NASA e consultamos astrônomos para saber se a história é real.

A verdade é que o FT3 existe mesmo e vai sim passar relativamente próximo da Terra no dia 3 de outubro. Segundo estimativas da agência espacial americana, ele deve passar a uma distância de pouco mais de 423 mil quilômetros do nosso planeta.

Por isso, a chance de colisão é de cerca de 1 em 11 milhões. Ou seja, de cada 11 milhões de aproximações em potencial, apenas 1 resultaria em uma colisão.

Imagine que, quando um objeto, como um asteroide, é observado no céu pela primeira vez, temos poucas informações sobre sua órbita. Portanto, não é possível traçar uma linha da trajetória desse asteroide. Então, os astrônomos imaginam um “cone”, por onde há uma probabilidade dele passar.

Quanto mais o asteroide está na borda deste cone, menor a chance dele passar por aquela região. Conforma novas observações e medições vão sendo feitas, este cone vai ficando mais e mais estreito, até que fique bem próximo de uma linha fina e os astrônomos tenham uma ideia mais precisa da trajetória do objeto.

Esses dados citados acima foram calculados em 11 de abril de 2017. Ou seja, eles podem sofrer algumas alterações conforme o asteroide se aproxime da Terra e os astrônomos recalculem sua trajetória, mas provavelmente não será uma mudança significativa.

“Existe a possibilidade de colisão? Sim, mas são 99.9999908% de chances do asteroide apenas se aproximar da Terra”, diz Loreany Ferreira de Araújo, mestranda no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo.

O FT3 mede 340 metros de diâmetro e 55 milhões de toneladas. Se ele colidisse com a Terra, sua força seria de 2,7 mil megatons. Para se ter uma noção, a bomba de Hiroshima tinha uma potência de 15 quilotons. Ou seja, o impacto do asteroide seria o equivalente a 180 mil bombas.

Mas fiquei tranquilo, não vai ser dessa vez que nosso planeta vai acabar.

 

 

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus