Austrália quer matar pombo que viajou sozinho dos EUA a Melbourne

‘Joe’ infringiu as regras de biossegurança em vigor no país, de acordo com o Serviço de Quarentena e Inspeção do governo australiano

Joe: feito extraordinário, mas que pode resultar em sua execução. Crédito: im Mossholder/Unsplash

A pandemia de covid-19 levou muitos países a estabelecerem regras rígidas de quarentena, e a Austrália parece ter chegado a um novo patamar nesse quesito. De acordo com o que as autoridades do país estabeleceram para lidar com o novo coronavírus, um pombo que saiu dos Estados Unidos e chegou a Melbourne terá de ser sacrificado.

Batizado de Joe (supostamente em homenagem ao novo presidente dos EUA, Joe Biden), o pássaro é um competidor de columbofilia que havia desaparecido no Oregon (costa oeste) em outubro passado. Depois de sua estada de dois meses no Pacífico (o trajeto exato não é conhecido), o pombo pousou em Melbourne. Como, segundo as atuais regras australianas, ele representa um “risco de biossegurança direto” para seus companheiros locais, deverá ser capturado e submetido à eutanásia.

Segundo a BBC News, Joe foi avistado pela primeira vez em 26 de dezembro, no quintal de Kevin Celli-Bird. O “anfitrião” australiano declarou que o pombo estava em uma condição “emaciada”. Por isso, Bird “esmagou um biscoito seco e o deixou lá para ele”. Acredita-se que tenha sido Bird quem deu ao pombo o nome ‘Joe’.

Travessia oceânica

Curioso, Bird decidiu investigar seu hóspede alado e descobriu que ele teria sido registrado por alguém no Alabama (EUA) e havia sido visto pela última vez em uma corrida de pombos no Oregon. Especialistas disseram à agência noticiosa Associated Press que Joe pegou uma carona dos EUA para a Austrália a bordo de um navio de carga que cruzou o Pacífico.

O Serviço de Quarentena e Inspeção australiano está agora no encalço da ave. A justificativa é que Joe pode estar transportando microrganismos contagiosos capazes de pôr em perigo a população de aves e aves domésticas da Austrália. O Departamento de Agricultura declarou estritamente que o pombo não é bem-vindo na Austrália.

“Independentemente de sua origem, qualquer ave domesticada que não cumpra o estado de saúde de importação e os requisitos de teste não tem permissão para permanecer na Austrália”, disse um porta-voz do comitê de Agricultura. “O único resultado possível para gerenciar o risco de biossegurança é a destruição humana da ave.”

Animal arisco

As autoridades australianas já teriam contatado Bird para solicitar a captura do pombo. Joe, porém, parece ser escaldado e sempre foge do toque. “Para ser honesto, não consigo entender”, disse Bird, que tem posto comida diariamente para o pássaro. “Se chego a meio metro dele, ele se move.”

O anfitrião de Joe contou que o pombo passa o dia todo no seu quintal, sem atividades que chamem a atenção. Mas, de vez em quando, ele faz companhia a uma pomba nativa no topo do arco do jardim de Bird.

A BBC lembra que Joe não é o primeiro animal a enfrentar problemas com as rígidas leis de importação de animais da Austrália. Em 2015, o ator Johnny Depp e sua então esposa, (a atriz) Amber Heard, tiveram de emitir um pedido de desculpas em vídeo depois de trazerem ilegalmente seus cães Pistol e Boo para o país em seu jato particular.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança