Azul da cor de Netuno

Há 30 anos, a sonda Voyager 2 visitou Netuno, último planeta do Sistema Solar. Foi a primeira e única espaçonave humana a chegar perto do planeta

Netuno pelas lentes da Voyager 2: irmão azulado de Júpiter e Saturno. Foto: Nasa-JPL/Caltech

Em 25 de agosto de 1989, 30 anos atrás, a sonda Voyager 2, da Nasa, sobrevoou Netuno e mostrou pela primeira vez imagens mais detalhadas do planeta. Como lembra o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa, esse foi o fim da Grande Excursão da missão Voyager aos quatro gigantes do Sistema Solar – Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Desde então, nenhuma outra espaçonave visitou Netuno.

Envolto em faixas de nuvens cor de cobalto e azul-petróleo, o planeta mostrado pela Voyager 2 parece um irmão azulado de Júpiter e Saturno. A cor predominante indica a presença de metano na atmosfera.

Uma enorme tempestade cor de ardósia, semelhante à Grande Mancha Vermelha de Júpiter, foi apelidada de “Grande Mancha Escura”. Na visita da Voyager 2, seis novas luas e quatro anéis do planeta foram descobertos.

LEIA TAMBÉM: Confirmada nova lua de Netuno – a menor das 14

O fim do sobrevoo de Netuno marcou o início da missão interestelar Voyager, que continua ainda hoje, 42 anos após o lançamento. A Voyager 2 e sua gêmea, a Voyager 1 (que também voou perto de Júpiter e Saturno), seguem enviando dados dos limites do Sistema Solar.

Na época do encontro com Netuno, a Voyager 2 estava a cerca de 4,7 bilhões de quilômetros da Terra; hoje, são 18 bilhões de quilômetros. A Voyager 1, que se move mais rapidamente, está a 21 bilhões de quilômetros da Terra.