Bahia decreta estado de emergência por manchas de óleo

Declaração de emergência permite que o governo use verbas contingenciais no trabalho de contenção do óleo

Foto: ADEMA/Sergipe

O governador em exercício da Bahia, João Leão, assinou, nesta segunda-feira (14), uma declaração de estado de emergência nas cidades afetadas por manchas de óleo que se espalharam pelo litoral.

O documento permite que o governo use verbas contingenciais no trabalho de contenção do óleo.

Segundo a secretaria de Meio Ambiente da Bahia, 35 toneladas de óleo já foram retiradas das praias do estado. O governo também alertou a população para que os moradores não toquem nas manchas nem tentem remover o óleo sozinhos.

A força-tarefa que analisa o vazamento de óleo que se alastrou pelo litoral da Região Nordeste informou que não houve registro de novas manchas nesta segunda-feira (14). A Marinha, no entanto, não descarta a possibilidade de aparecimento de mais óleo nas praias da região.

Segundo os militares, não é possível afirmar que a fonte do vazamento tenha se esgotado. A força-tarefa de limpeza, que conta com 1.583 militares de 48 organizações e 74 civis, informou que mais de 200 toneladas de resíduos contaminados já foram isoladas.

Formado pela Marinha, pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), o grupo montou uma central de monitoramento para medir o impacto ambiental do acidente, de origem ainda desconhecida.

A descontaminação das praias segue sem perspectiva de ser finalizada.