Baratas canibais mordem as asas umas das outras no ato sexual

Comportamento de baratas asiáticas monogâmicas supostamente ajudaria na sua capacidade de reproduzir-se e criar sua prole

Baratas da espécie Salganea taiwanensis: a da esquerda teve suas asas parcialmente comidas. Crédito: Haruka Osaki

Até hoje, o que se sabia em termos de canibalismo sexual no reino animal era que ele era praticado por apenas um sexo. É o caso de várias espécies de aranhas, por exemplo. Em um bom número de vezes, os machos são as vítimas. Consumi-los pode ajudar as fêmeas a ingerir vitaminas que serão aproveitadas durante a gravidez. Algumas aranhas machos até sacrificam suas pernas para fêmeas agressivas durante o acasalamento.

Mas pesquisadores da Universidade de Kyushu (Japão) descobriram que, no caso de uma barata asiática que se alimenta de madeira (Salganea taiwanensis), machos e fêmeas comem as asas de seus parceiros durante a cópula. É o primeiro caso de comportamento “mútuo” dos dois sexos observado.

O estudo sobre a descoberta foi publicado na revista “Ethology”.

Considerando também que esses insetos são monogâmicos, os cientistas japoneses calculam que os dois comportamentos estão inter-relacionados. “Se comer as asas do parceiro aumenta sua capacidade de criar a prole, esse comportamento é adaptativo tanto para o comedor quanto para seu parceiro”, escrevem eles.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança