Calor ameaça a fertilidade masculina

Apesar de o estudo ter sido feito com animais, acredita-se que o efeito, pode ser o mesmo no ser humano

Espermatozoides: número reduzido sob temperaturas mais altas (Foto: iStock)

Pesquisadores sugerem que temperaturas cada vez maiores, uma característica da mudança climática, podem reduzir a contagem de espermatozoides. Apesar de o estudo ter sido feito com animais, acredita-se que o efeito pode ser o mesmo no ser humano.

Segundo um estudo publicado na revista Nature Communications, exemplares do besouro Tribolium castaneum, comum na Terra, foram submetidos a condições de controle e a uma “onda de calor” de cinco dias, na qual as temperaturas mais altas ficaram entre 9 °C e 13°C acima da máxima média.

Essas condições prejudicaram a reprodução masculina, mas não a feminina, observam os cientistas. Ondas sucessivas “quase esterilizam besouros machos”, diz Matt Gage, da Universidade de East Anglia (Reino Unido) e coautor do estudo. A redução de espermatozoides em tais circunstâncias também pode ocorrer entre humanos, alertam os pesquisadores.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago