Calor ameaça a fertilidade masculina

Apesar de o estudo ter sido feito com animais, acredita-se que o efeito, pode ser o mesmo no ser humano

Espermatozoides: número reduzido sob temperaturas mais altas (Foto: iStock)

Pesquisadores sugerem que temperaturas cada vez maiores, uma característica da mudança climática, podem reduzir a contagem de espermatozoides. Apesar de o estudo ter sido feito com animais, acredita-se que o efeito pode ser o mesmo no ser humano.

Segundo um estudo publicado na revista Nature Communications, exemplares do besouro Tribolium castaneum, comum na Terra, foram submetidos a condições de controle e a uma “onda de calor” de cinco dias, na qual as temperaturas mais altas ficaram entre 9 °C e 13°C acima da máxima média.

Essas condições prejudicaram a reprodução masculina, mas não a feminina, observam os cientistas. Ondas sucessivas “quase esterilizam besouros machos”, diz Matt Gage, da Universidade de East Anglia (Reino Unido) e coautor do estudo. A redução de espermatozoides em tais circunstâncias também pode ocorrer entre humanos, alertam os pesquisadores.

Saiba mais

+ CPF do remetente deverá constar nas encomendas enviadas pelos Correios
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Astrônomos chegam a consenso sobre a idade do universo
+ Fã ‘faz diagnóstico’ de hérnia em Rafa Kalimann, que confirma
+ Corpo de responsável por câmeras de clube onde petista foi assassinado é encontrado no Paraná
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Veja objetos, símbolos e amuletos que atraem riqueza
+ Anitta conta o que a levou a fazer tatuagem no ânus
+ Ancestral humano desconhecido deixou pegadas estranhas na África