Carro elétrico da polícia suspende perseguição por bateria descarregada

Tesla da polícia de Fremont, na Califórnia, teve de interromper operação porque a bateria só tinha carga para rodar mais 9 quilômetros

Tesla Model S da polícia de Fremont: a perseguição frustrada não é motivo para descartar esses veículos, dizem as autoridades policiais. Crédito: Departamento de Polícia de Fremont

A transição para uma frota de veículos movidos a eletricidade promete ter alguns percalços. Um deles, na semana passada, foi noticiado pelo jornal “East Bay Times”, da região de San Francisco (EUA), e pelo site NBC News: um Tesla Model S da polícia de Fremont teve de interromper uma perseguição porque sua bateria estava quase descarregada.

O carro foi adquirido em março. O policial que o dirigia no momento do incidente enviou um comunicado via rádio para dizer que o veículo advertira que tinha apenas 9 km de duração da bateria e que ele poderia não conseguir continuar a perseguição.

Geneva Bosques, porta-voz da polícia de Fremont, disse à NBC Bay Area que o Tesla não estava totalmente carregado no início do turno do policial, às 14h, e que a perseguição só começou às 23h. “Este exemplo não muda de modo algum nosso sentimento em relação ao desempenho do veículo para fins de patrulha”, disse a porta-voz à emissora.

“O policial estava monitorando a acusação e notificando responsavelmente todos de seu status durante a perseguição de aproximadamente 16 quilômetros”, afirmou Bosques. O departamento tinha outros veículos policiais atrás do Tesla para assumir a perseguição, e a Patrulha Rodoviária da Califórnia também estava respondendo, de acordo com o departamento.

LEIA TAMBÉM: Carros elétricos e híbridos devem ficar mais acessíveis aos brasileiros

Segundo a polícia de Fremont, o Tesla perseguiu o veículo suspeito por cerca de 16 quilômetros, a uma velocidade que por vezes superou 175 km/h. A perseguição foi interrompida por razões de segurança. Mais tarde, a polícia rodoviária encontrou o carro suspeito abandonado em San Jose.

Meio tanque

A polícia de Fremont disse em comunicado que, quando o policial iniciou seu turno, a bateria do Tesla estava aproximadamente 50% carregada. Isso se encaixa nas recomendações de que seus policiais iniciem seu turno com pelo menos meio tanque de gasolina.

O Tesla normalmente é carregado entre os turnos da polícia, mas no dia da perseguição ele acabara de ser devolvido do pátio da corporação. “O veículo está retornando regularmente no final de cada turno com 40% a 60%, se não mais, da carga restante da bateria”, disse a polícia no comunicado.

“Em nenhum momento a bateria do Tesla se tornou um fator em nossa capacidade de perseguir o suspeito ou cumprir nossas obrigações”, afirmou a polícia no comunicado. “Essa situação, embora embaraçosa, não é diferente dos casos em que um carro-patrulha fica com pouco combustível (ou mesmo seco).”

Segundo Bosques, a perseguição frustrada foi a segunda busca envolvendo o Tesla. “Até agora, o carro está atendendo ou superando nossas expectativas”, disse ela. “Ainda estamos nos primeiros seis meses do programa piloto e estamos acompanhando todos os dados.”

“Continuamos dedicados à nossa pesquisa contínua sobre os benefícios do uso de veículos elétricos e os efeitos que eles têm sobre o meio ambiente”, declarou a polícia de Fremont em seu comunicado.