Cartas

Noruega

Comprei a revista PLANETA pela primeira vez e gostei do conteúdo das matérias e da fonte usada para as letras, que tornam a leitura muito agradável.

Também gostei muito da reportagem sobre a Noruega (PLANETA nº 425), de Jaime Borquez. Gostaria de saber por que a Noruega não faz parte da Opep. E existem soldados noruegueses no Iraque? Por quê? Rodrigo, email: diogenes.rodrigo@terra.com.br.

Nota da Redação: Caro Rodrigo, a Noruega realmente enviou um pequeno contingente de soldados para o Iraque, atendendo à solicitação da ONU e com vistas à reconstrução do país devastado pela guerra. Os soldados noruegueses não foram enviados lá para combater. Quanto à participação desse país na Opep, parece que aos noruegueses isso simplesmente não interessa.

Pequena, mas belíssima a reportagem sobre a Noruega (edição nº 425, de março ). É de encher os olhos e a imaginação. Para mim, esse país é sinônimo de qualidade de vida. Percebe-se o compromisso dos noruegueses com aquilo que é realmente essencial à vida humana hoje. Ultimamente, sentar e ler a PLANETA tem constituído um dos meus momentos mais gratificantes.

Durante essas horas, desligo o celular e me “desligo”. O estresse da vida moderna tem nos roubado o melhor do nosso tempo. Vivemos sob fortes pressões e cobranças. Vivemos focados na produção do “ter” e isso nos afasta do “ser”. PLANETA nos leva de volta ao nosso interior. Para mim, é uma revista que investe naquilo que o dinheiro não compra e o status não propicia. Parabéns a toda a equipe pelas excelentes reportagens. Andréa Mara, Belo Horizonte, MG, e-mail: andreamara4@hotmail.com.

A matéria sobre a Noruega (PLANETA nº 425) afirma que a extensão do litoral do país é de 21 mil quilômetros. Parece muito, mesmo considerando os recortes dos fiordes e enseadas. Não seriam 2.100 quilômetros? Carmen Langaro, Porto Alegre, RS, email: langaro@copesul.com.br.

Nota da Redação: Cara Carmen, a informação está correta. Graças aos seus inúmeros fiordes, a Noruega possui uma das mais extensas linhas marítimas do mundo – quase duas vezes e meia a extensão do litoral do Brasil, que é de cerca de oito mil quilômetros.

Os Pés Alados de Mercúrio

Caro Luis Pellegrini. Antes de mais nada, parabéns pelo seu trabalho na revista PLANETA. Seu livro Os Pés Alados de Mercúrio (Axis Mundi Editora) veio parar em minhas mãos em ótima hora. Abri aleatoriamente numa página e fiquei maravilhada com a leitura do relato que se apresentou, “O Guru Perfumado”.

Agora que li o livro todo, percebo que foi uma descoberta em vários sentidos, uma sensação de estar lá no momento/ lugar descrito, um jeito de olhar diferente, muito mais profundo, para com os seres que nos cercam. A cada relato uma mensagem, uma lição de vida a partir da sua percepção incrível do presente.

Fiquei particularmente encantada com as histórias sobre Daramsala, perplexa com a conclusão do capítulo “A Chave para a Divina Providência”, e pensativa sobre o tema levantado em “Nascer Não Basta”, uma vez que tenho filhos entrando na adolescência, e eu mesma não me sinto tão distante da minha.

Enfim, Ôs Pés Alados de Mercúrio é um livro delicioso, para ser saboreado e passado adiante, que me fez viajar e me ajudou a reencontrar a minha espiritualidade num momento crítico. Agradeço a você por essa oportunidade. Um grande abraço! Luciana Barbieri, e-mail: luciana@geosfera.com.br.

Hackers e crackers

Apesar de ter não ter gostado da capa da última edição (PLANETA nº 425), adorei a matéria central da revista, a qual fala dos programas que atacam nosso computador. Claro, a maior invenção de todos os tempos em matéria de comunicação não poderia ficar isenta da sanha desses bandidos do mundo virtual, os hackers e, agora, também os crackers.

Achei maravilhoso também o artigo de Francesco Giovannetti a respeito dos males provocados pela ignorância, os apegos e o ódio. Eles são realmente os maiores inimigos da felicidade humana. Parabéns. Veridiana Franco, São Paulo, São Paulo, veridiana.franco@terra.com.br.

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus