• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Ciência28/12/2021

Cavalos selvagens mostram evidências de estrutura social

Crédito: dagmarbendel /Pixabay

28/12/21 - 10h21min

Pesquisadores da Universidade de Kyoto (Japão) e da Universidade de Estrasburgo (França) usaram drones para investigar a “estrutura social multinível” dos cavalos selvagens na Serra D’Arga, em Portugal. Os resultados obtidos foram apresentados em artigo na revista Scientific Reports.

Em uma sociedade multinível, os indivíduos são estruturados em grupos estáveis ​​que constroem relacionamentos com outros grupos para formar um nível superior de organização. Por exemplo, as pessoas vivem em uma sociedade de vários níveis, em que as famílias formam uma comunidade local que, por sua vez, se combina com outras para formar uma organização social superior, como subúrbios e cidades.

O fenômeno foi estudado em animais como primatas e baleias. O estudo de sociedades multiníveis em animais pode nos dar uma ideia de como essas relações funcionam, mas seus mecanismos ainda são pouco estudados devido à falta de dados quantitativos. “É por isso que optamos por estudar o aparato social dos cavalos selvagens”, explicou o líder da equipe de pesquisa, Shinya Yamamoto.

Duas categorias de grupos

A equipe montou uma área de observação de um bem documentado grupo de cavalos na Serra D’Arga. Seus drones tiraram fotos aéreas em intervalos de 30 minutos, permitindo-lhes registrar com precisão a localização de cada cavalo e as distâncias exatas entre os indivíduos.

Com os drones, eles conseguiram identificar 121 indivíduos em 23 grupos especificamente definidos chamados unidades e 5 machos solitários. Duas categorias foram usadas para descrever os grupos: “haréns” – sexo misto com um ou dois machos adultos – e todos os “grupos de solteiros” de machos.

A análise de dados da equipe encontrou três evidências: 1) existem pequenas organizações sociais ou “unidades” que se fundem para formar “rebanhos” de nível superior; 2) grupos de solteiros ficam na periferia de um rebanho; e 3) grandes haréns são mais propensos a ocupar o centro do rebanho, explicou a primeira autora Tamao Maeda.

Vê-se frequentemente em animais sociais que indivíduos dominantes ocupam o centro de um grupo. Portanto, os dados sugerem que haréns maiores indicam seu status superior nas relações de grupo.

“Além disso, manter os solteiros longe do centro pode reduzir o risco de assediar indivíduos e potencialmente assumir o controle de haréns”, acrescentou Maeda.

A equipe pretende investigar mais profundamente as funções e mecanismos das sociedades de vários níveis em cavalos, bem como utilizar seus métodos para estudar outras espécies sociais.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

cavalo