Células da retina são mapeadas pela primeira vez

Mapeamento inclui fotorreceptores, que detectam a luz e permitem que as pessoas vejam, e células ganglionares da retina, que transmitem mensagens para o cérebro ao longo do nervo óptico

Visualização de células da retina humana em três amostras de doadores. Foto: R. Wong

A retina é a primeira parte do olho abordada pelo Atlas de Células Humanas, projeto internacional lançado em 2016 para mapear e descrever cada célula do corpo humano em uma grande coleção. A etapa atual foi divulgada em estudo publicado recentemente na revista “European Molecular Biological Organization Journal” e abordada na revista “Cosmos”.

O trabalho envolveu cientistas de Austrália, China, Estados Unidos e Reino Unido. A liderança foi de três australianos: Raymond Wong, do Centro de Pesquisa de Olhos da Austrália, Samuel Lukowski, do Instituto de Biociências Moleculares, e Joseph Powell, do Instituto Garvan de Pesquisa Médica.

LEIA TAMBÉM: Releitura genética

Os pesquisadores investigaram as sequências genéticas por trás das células individuais para desenvolver um perfil de todos os principais tipos celulares na retina e os genes que eles “expressam” para funcionar normalmente.

Entre as células mapeadas agora estão os fotorreceptores, que detectam a luz e permitem que as pessoas vejam. A lista inclui também as células ganglionares da retina, que transmitem mensagens para o cérebro ao longo do nervo óptico, e outras células que servem de suporte à função e à estabilidade da retina.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança