Chandra mostra rara supercolisão entre quatro aglomerados de galáxias

Megaestrutura está surgindo no sistema Abell 1758, a cerca de 3 bilhões de anos-luz da Terra, e deverá se tornar um dos objetos mais massivos do universo

Os dois pares de aglomerados de galáxias colidem: a caminho de formar um dos objetos mais massivos do universo. Crédito: Raio X - Nasa/CXC/SAO/G.Schellenberger et al.; Óptico - SDSS

Astrônomos que usam dados do Observatório de Raios X Chandra, da Nasa, e outros telescópios montaram um mapa detalhado de uma rara colisão entre quatro aglomerados de galáxias. Futuramente, todos esses aglomerados – cada um com uma massa de pelo menos várias centenas de trilhões de vezes a do Sol – irão se fundir para formar um dos objetos mais massivos do universo.

Os aglomerados de galáxias são as maiores estruturas do cosmos mantidas juntas pela gravidade. Eles consistem em centenas ou até milhares de galáxias embutidas em gás quente e contêm uma quantidade ainda maior de matéria escura invisível. Às vezes, dois aglomerados de galáxias colidem, como no caso do Bullet Cluster, e ocasionalmente mais de dois colidem ao mesmo tempo.

As novas observações mostram uma megaestrutura sendo montada em um sistema chamado Abell 1758, localizado a cerca de 3 bilhões de anos-luz da Terra. Ele contém dois pares de aglomerados de galáxias em colisão que estão se aproximando. Os cientistas reconheceram Abell 1758 como um sistema de aglomerados de galáxias quádruplos em 2004, usando dados do Chandra e do XMM-Newton, um satélite operado pela Agência Espacial Europeia (ESA).

LEIA TAMBÉM: Chandra flagra colisão violentíssima de grupos de galáxias

Cada par no sistema contém dois aglomerados de galáxias que estão a caminho da fusão. No par norte (superior) visto na imagem composta, os centros de cada aglomerado já passaram um pelo outro uma vez, cerca de 300 a 400 milhões de anos atrás, e futuramente voltarão a fazer isso. O par sul, na parte inferior da imagem, tem dois grupos que estão perto de se aproximar pela primeira vez.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança