Cheops, o novo investigador de exoplanetas, é lançado ao espaço

Satélite da ESA vai obter informações sobre planetas extrassolares que orbitam estrelas brilhantes e próximas

Cheops parte para o espaço: reforço para o estudo de exoplanetas. Crédito: ESA - S. Corvaja

O Cheops, satélite da Agência Espacial Europeia (ESA) destinado ao estudo de exoplanetas, decolou hoje (18 de dezembro) do Espaçoporto da Europa em Kourou, na Guiana Francesa. O lançador russo Soyuz-Fregat também vai colocar em órbita o satélite Cosmo-SkyMed Second Generation, da agência espacial italiana, e três CubeSats (minissatélites em forma de cubo), incluindo o OPS-SAT da ESA.

O lançamento estava previsto para o dia anterior, mas a sequência automática do lançador foi interrompida durante a contagem regressiva de 1 hora e 25 minutos, devido ao que foi descrito como “uma anomalia” na configuração do lançamento.

O Cheops (abreviatura de CHaracterising ExOPlanet Satellite) é a primeira missão dedicada ao estudo de estrelas brilhantes e próximas conhecidas por hospedar planetas extrassolares. Ele fará observações de alta precisão do tamanho do planeta ao passar na frente de sua estrela hospedeira. Ele se concentrará nos planetas na faixa de tamanho de Super-Terra a Netuno, com seus dados permitindo que a densidade aparente dos planetas seja derivada – uma caracterização de primeiro passo para a compreensão desses mundos alienígenas.

LEIA TAMBÉM: “Impressão digital” da Terra ajudará na busca por planetas habitáveis

O satélite orbitará a Terra a uma distância de 700 quilômetros, estudando rochas que orbitam estrelas a vários anos-luz de distância. O objetivo, segundo Günther Hasinger, diretor de ciências da ESA, é compor “uma foto de família de exoplanetas”. Espera-se que os primeiros resultados das observações do Cheops estejam disponíveis em alguns meses.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança