China poderá ser castigada por ondas de calor mortal

Ondas de calor com temperatura de bulbo úmido de pelo menos 35 °C­­ poderão atingir a Planície Norte do país várias vezes até o fim do século

Xangai: a maior cidade da China está na região mais ameaçada pelo calor (Foto: iStock)

Notícia preocupante para a Planície do Norte da China (a mais populosa região do país, hoje com 400 milhões de habitantes, que inclui Beijing e Xangai): segundo um estudo, até o fim do século a área será castigada por uma sucessão mortal de ondas de calor extremo causadas pelo aquecimento global e pela irrigação.

À temperatura de bulbo úmido (medida que reflete as propriedades físicas de um sistema constituído pela evaporação da água no ar) de 35 °C, o corpo humano não se refresca ao suar e até pessoas saudáveis sentadas à sombra podem morrer em seis horas. Segundo a pesquisa, publicada em julho na revista “Nature Communications”, ondas de calor com temperatura de bulbo úmido de pelo menos 35 °C­­ poderão atingir a planície várias vezes entre 2070 e 2100 caso o aquecimento global não seja contido.

Brasil está entre países mais afetados por ondas de calor