Cidade da Idade da Pedra é descoberta em Israel

Assentamento tem 9 mil anos de idade e abrigava entre 2 e 3 mil habitantes

cidade Idade da Pedra Israel
Escavação de sítio arqueológico de 9 mil anos atrás em Motza, Israel / Foto: Autoridade de Antiguidades de Israel

Uma cidade da Idade da Pedra de 9 mil anos atrás foi revelada pela Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA, na sigla em inglês).

O assentamento pré-histórico de Motza é um dos maiores do mundo desse período e fica a cinco quilômetros a oeste de Jerusalém. O local foi descoberto durante as escavações para a construção de uma nova estrada e se tornou a maior pesquisa de um sítio arqueológico pré-histórico de Israel.

Esta é a primeira vez que um assentamento em larga escala do período neolítico é descoberto em Israel. Os pesquisadores estimam que entre 2 e 3 mil moradores vivam lá – uma quantidade muito grande de pessoas para o período.

As escavações revelaram grandes edifícios com becos entre eles, evidência de planejamento avançado para o desenvolvimento da cidade. Alguns cômodos foram usados ​​como espaços de convivência, alguns como instalações públicas e outros para fins rituais.

Durante as escavações foram encontradas evidências de fabricação de ferramentas de sílex, uma rocha muito usada no período. Essas ferramentas incluíam milhares de pontas de flechas usadas para caça e possivelmente guerra, juntamente com lâminas de foice e facas.

Ponta de lança encontrada em escavação de sítio arqueológico de 9 mil anos atrás em Motza, Israel / Foto: Autoridade de Antiguidades de Israel

Uma série de pequenos objetos também foram descobertos como oferendas funerárias, que eram presentes enterrados com o morto, na crença de que eles seriam usados ​​pelo indivíduo na vida após a morte. Também foram encontradas numerosas sepulturas entre as casas.

As oferendas incluem objetos de pedra, trabalhados a partir de um mineral que ainda não foi identificado. Os arqueólogos também encontraram objetos feitos de obsidiana, um vidro vulcânico cuja origem mais próxima é a região da Anatólia, Turquia. Um indício de que os habitantes do local faziam trocas com povos de outros lugares.

Contas feitas de obsidiana encontradas em escavação de sítio arqueológico de 9 mil anos atrás em Motza, Israel / Foto: Autoridade de Antiguidades de Israel

Os pesquisadores também encontraram conchas do mar do Mediterrâneo e do Mar Vermelho e pulseiras feitas de pedra entre as oferendas dos enterros. Os pesquisadores acreditam que as pulseiras provavelmente foram feitas para crianças, com base em seu pequeno tamanho.

Pulseiras encontradas em escavação de sítio arqueológico de 9 mil anos atrás em Motza, Israel / Foto: Autoridade de Antiguidades de Israel

O Período Neolítico é o primeiro período em que vemos as populações se afastando da caça e da coleta como principal meio de sobrevivência e caminhando em direção a um estilo de vida mais sedentário, que envolvia agricultura e pecuária. Esta mudança crítica é às vezes chamada de Revolução Neolítica.

Na escavação de Motza, a Revolução Neolítica havia atingido seu cume. Enormes quantidades de legumes, especialmente lentilhas, foram encontradas surpreendentemente preservadas em galpões de armazenamento, evidenciando extensas atividades agrícolas.

O sítio muda o que se sabe sobre o período neolítico nessa região, já que, até agora, acreditava-se que a área da Judeia não era ocupada nesse período e que locais desse tamanho existiam apenas na outra margem do rio Jordão ou no norte do Levante.

Porém, ao contrário do que se esperava, em vez de uma área desabitada foi encontrado um complexo, onde existiam vários meios econômicos de subsistência.

De acordo com Amit Re’em, arqueólogo do Distrito de Jerusalém da Autoridade de Antiguidades de Israel, a construção da rodovia continuará, pela necessidade de uma estrada adicional de acesso a Jerusalém. Porém, partes significativas do sítio pré-histórico de Motza permanecerão preservadas e toda a área de escavação foi documentada com tecnologia 3D avançada para capturar todos os detalhes digitalmente.

O IAA também planeja desenvolver exibições contando a história do assentamento. Os restos arqueológicos encontrados também estão sendo preservados em Tel Motza, que fica  nas proximidades, para a apreciação do público.

Fonte: Amigos da Autoridade de Antiguidades de Israel