“Encontramos vida em Marte em 1976”, diz ex-cientista da Nasa

O cientista Gilbert V. Levin publicou um artigo afirmando que a missão Viking, que enviou uma sonda para Marte em 1976, encontrou sinais de "respiração microbiana" com o experimento Labeled Release (LR)

A sonda Viking, que pousou em Marte em 1976 / Foto: Nasa/Divulgação

O cientista Gilbert V. Levin publicou um artigo dizendo que está convencido de que uma missão da Nasa dos anos 1970 encontrou sinais de vida em Marte.

Levin participou do experimento de detecção de vida Labeled Release (LR), que fazia parte da missão Viking para Marte, em 1976.

LEIA TAMBÉM: Hubble flagra asteroide passando na frente da nebulosa do caranguejo

A Viking foi a primeira missão da história a pousar uma nave em Marte com segurança e enviar imagens da superfície do Planeta Vermelho.

No experimento, a sonda Viking colocou nutrientes em amostras de solo de Marte. Se houvesse alguma forma de vida ali, presume-se que ela consumiria esses nutrientes e emitiria algum gás como resultado do metabolismo desses nutrientes.

Segundo Levin, no dia 30 de julho o experimento retornou seus resultados iniciais coletados de solo de Marte e, surpreendentemente, eles deram positivo para detecção dos tais gases, ou seja, de “respiração microbial”. Conforme o experimento progredia, quatro resultados deram positivo, em comparação com cinco experimentos controle.

As curvas de respiração microbial resultantes foram parecidas com curvas produzidas por testes de amostras de solo da Terra. “Parecia que havíamos respondido à pergunta definitiva”, escreveu Levin.

Porém, diz o cientista, quando o Experimento de Análise Molecular da Viking falhou em detectar matéria orgânica, que é a essência da vida, a Nasa concluiu que o experimento Labeled Release encontrou, no solo, uma substância que “imitava” vida, mas não vida em si.

“Inexplicavelmente, nos 43 anos depois da missão Viking, nenhuma das sondas subsequentes da Nasa levou um instrumento de detecção de vida para continuar esses resultados empolgantes”, disse o cientista em seu artigo. “Em vez disso, a agência lançou uma série de missões para Marte para determinar se havia um habitat adequado para a vida, eventualmente trazendo amostras para a Terra para testes biológicos”.

Para o cientista, um painel de cientistas deveria revisar todas as informações pertinentes do experimento Labeled Release (LR) juntamente com outras evidências mais recentes relacionadas à vida em Marte. “Um júri objetivo poderia concluir, como eu concluí, que a Viking LR de fato encontrou vida”, escreveu Levin. “De qualquer maneira, um estudo como esse produziria um guia importante para a Nasa buscar seu Santo Graal”, conclui.

O artigo foi publicado na revista “Scientific American“.