Cientistas descobrem como planta carnívora usa “memória” para devorar presas

Segredo está no cálcio. Foto: Pixabay

Pesquisadores publicaram recentemente no jornal acadêmico Nature Plants que a dioneia, também conhecida popularmente como apanha-moscas (Dionaea muscipula), usa uma espécie “memória” para capturar suas presas. 

Geralmente, a memória de curto prazo pode durar cerca de 30 segundos. Se um inseto tocar seus fios apenas uma vez, a armadilha dela permanece imóvel. Porém, se ele bater novamente em cerca de meio minuto, as folhas da planta carnívora fecham, prendendo a presa.

Até então, como elas se lembravam desse toque inicial era um mistério. Até que o novo estudo revelou que as plantas usam cálcio para atingir o objetivo. A “memória” delas é ativada a partir do aumento ou diminuição da substância dentro das células das folhas.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago


COMPARTILHAR