Cientistas descobrem como planta carnívora usa “memória” para devorar presas

Segredo está no cálcio. Foto: Pixabay

Pesquisadores publicaram recentemente no jornal acadêmico Nature Plants que a dioneia, também conhecida popularmente como apanha-moscas (Dionaea muscipula), usa uma espécie “memória” para capturar suas presas. 

Geralmente, a memória de curto prazo pode durar cerca de 30 segundos. Se um inseto tocar seus fios apenas uma vez, a armadilha dela permanece imóvel. Porém, se ele bater novamente em cerca de meio minuto, as folhas da planta carnívora fecham, prendendo a presa.

Até então, como elas se lembravam desse toque inicial era um mistério. Até que o novo estudo revelou que as plantas usam cálcio para atingir o objetivo. A “memória” delas é ativada a partir do aumento ou diminuição da substância dentro das células das folhas.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança

COMPARTILHAR