Cientistas desenvolvem vidro flexível e inquebrável

Propriedades ainda estão fora do alcance dos fabricantes comuns, mas podem ser conquistadas

Produção de vidro flexível na Finlândia: pulsos de laser altamente energéticos são disparados para o alvo cristalino no lado esquerdo da imagem. A energia intensa decompõe o óxido de alumínio cristalino em plasma de cor púrpura, injetado no exterior em alta velocidade. O plasma esfria muito rapidamente para formar um filme de óxido de alumínio vítreo (amorfo) ao colidir com o substrato no lado direito da imagem. Crédito: Erkka Frankberg, Universidade de Tampere

É possível fabricar um vidro que, além de forte, não se quebra e pode ser dobrado? A resposta é positiva para uma equipe de pesquisadores internacionais, segundo um estudo publicado na revista “Science” e abordado pela “Cosmos”.

No artigo, os cientistas, liderados por Erkka Frankberg, da Universidade de Tampere (Finlândia), descrevem como filmes finos de vidro de óxido de alumínio amorfo (a-Al2O3) podem ser permanentemente dobrados e puxados sob alto estresse sem quebrar à temperatura ambiente. De acordo com eles, a alta plasticidade do a-Al2O3 exige que o material seja denso e sem falhas, iluminando os principais critérios que poderiam identificar outros vidros de óxido com maleabilidade semelhante.

Para os cientistas, os resultados sugerem que os vidros de óxido não são inerentemente quebradiços; pelo contrário, nossa capacidade de fabricar um vidro tão perfeito a granel e em escalas maiores é que é falha.

LEIA TAMBÉM: Nova tecnologia pode capturar carbono emitido pela indústria

Em um artigo publicado na mesma edição da “Science”, Lothar Wondraczek, da Universidade de Jena (Alemanha), comentou que não seria fácil usar agora tais descobertas na produção normal de vidros. Mas ele reconhece que as características reveladas pela equipe de Erkka Frankberg, a força e a flexibilidade, não estão fora do alcance dos fabricantes.