Cientistas estudam surto de covid-19 iniciado em voo

Viagem aérea entre Dubai e Auckland, na Nova Zelândia, terminou com sete passageiros testando positivo para a doença

Mapa mostra a origem dos passageiros que apresentaram sinais da doença após a viagem

Um estudo feito pela imunologista Tara Swadi, conselheira-chefe do Ministério da Saúde da Nova Zelândia, está ajudando a conhecer o potencial de transmissão do novo coronavírus em viagens aéreas.

Ela e colaboradores acompanharam os desdobramentos do voo EK448, que partiu em 29 de setembro de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, com 86 passageiros a bordo (um quarto da capacidade total), e aterrissou 18 horas mais tarde em Auckland, na Nova Zelândia.

Dias após a chegada, as autoridades de saúde neozelandesas identificaram sinais de um possível surto de covid-19 iniciado na viagem. Sete dos 86 passageiros testaram positivo para o novo coronavírus. Três teriam embarcado contaminados – dois reconheceram não ter usado máscaras no avião nem no aeroporto. Os outros quatro teriam se infectado no voo.

Um passageiro que embarcou contaminado teria transmitido o vírus para os demais (“Emerging Infectious Diseases”, março).

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago