• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Featured24/02/2022

Cigarros eletrônicos têm papel importante em doenças da gengiva

Crédito: Pxfuel

24/02/22 - 10h15min

Uma série de novos estudos realizados por pesquisadores da Faculdade de Odontologia da Universidade de Nova York (EUA) destaca como os cigarros eletrônicos alteram a saúde bucal e podem estar contribuindo para doenças das gengivas. O mais recente deles, publicado na revista mBio, descobriu que os usuários de cigarros eletrônicos têm um microbioma oral único – a comunidade de bactérias e outros microrganismos – que é menos saudável do que o dos não fumantes, mas potencialmente mais saudável do que os fumantes, e mede o agravamento da doença gengival ao longo do tempo.

“Até onde sabemos, este é o primeiro estudo longitudinal de saúde bucal e uso de cigarros eletrônicos. Agora estamos começando a entender como os cigarros eletrônicos e os produtos químicos que eles contêm estão mudando o microbioma oral e interrompendo o equilíbrio das bactérias”, disse Deepak Saxena, que liderou a pesquisa com Xin Li – ambos são professores de patologia molecular na Faculdade de Odontologia da Universidade de Nova York.

A gengivite afeta quase metade dos adultos norte-americanos com mais de 30 anos de idade. Fumar cigarros é um fator de risco conhecido para o desenvolvimento de doenças gengivais, mas pouco se sabe sobre o impacto dos cigarros eletrônicos – que vaporizam a nicotina e outros produtos químicos – na saúde bucal, especialmente as consequências em longo prazo do vaping.

Os pesquisadores estudaram a saúde bucal de 84 adultos de três grupos: fumantes, usuários de cigarros eletrônicos e pessoas que nunca fumaram. A gengivite foi avaliada através de dois exames odontológicos com seis meses de intervalo, durante os quais foram retiradas amostras de placa para análise das bactérias presentes.

Mudanças na saúde das gengivas

Todos os participantes tinham alguma doença gengival no início do estudo, sendo nos fumantes de cigarros a doença mais grave, seguidos pelos usuários de cigarros eletrônicos. Após seis meses, os pesquisadores observaram que a doença gengival piorou em alguns participantes de cada grupo, incluindo diversos usuários de cigarros eletrônicos.

Um indicador chave de doença gengival é a perda de inserção clínica, medida pelo ligamento gengival e o tecido que se separa da superfície de um dente, levando a gengiva a retrair-se e formar bolsas. Esses bolsões são criadouros de bactérias e podem levar a doenças gengivais mais graves. Em um estudo dos mesmos participantes publicado na revista Frontiers in Oral Health, a equipe de pesquisa descobriu que a perda de ligamento clínico foi significativamente pior apenas nos fumantes de cigarro eletrônico – e não em fumantes e não fumantes – após seis meses.

Microbioma único

Os pesquisadores então analisaram as bactérias encontradas nas amostras de placas e determinaram que os usuários de cigarros eletrônicos têm um microbioma oral diferente de fumantes e não fumantes – com base nas descobertas que a equipe relatou anteriormente nas revistas iScience e Molecular Oral Microbiology.

Embora todos os grupos compartilhassem cerca de um quinto dos tipos de bactérias, a composição bacteriana dos usuários de cigarros eletrônicos tinha muito mais em comum com os fumantes do que os não fumantes. Vários tipos de bactérias, incluindo Selenomonas, Leptotrichia e Saccharibacteria, eram abundantes em fumantes e vapers em comparação com não fumantes. Várias outras bactérias – incluindo Fusobacterium e Bacteroidales, conhecidas por estarem associadas à doença gengival – eram particularmente dominantes na boca dos usuários de cigarros eletrônicos.

Quando as amostras de placa foram coletadas e analisadas no acompanhamento de seis meses, os pesquisadores encontraram maior diversidade de bactérias para todos os grupos estudados, mas cada grupo manteve seu próprio microbioma distinto.

“O vaping parece estar conduzindo padrões únicos de bactérias e influenciando o crescimento de algumas bactérias de maneira semelhante ao tabagismo, mas com seu próprio perfil e riscos para a saúde bucal”, disse Fangxi Xu, pesquisadora júnior do laboratório de Saxena e do coprimeira autora do estudo.

Resposta imune alterada

Os pesquisadores descobriram que o microbioma distinto em usuários de cigarros eletrônicos estava correlacionado com medidas clínicas de doenças gengivais e mudanças no ambiente imunológico do hospedeiro. Em particular, o vaping foi associado a diferentes níveis de citocinas – proteínas que ajudam a regular o sistema imunológico. Certas citocinas estão ligadas a um desequilíbrio nas bactérias orais e podem piorar a doença gengival, tornando as pessoas propensas a inflamações e infecções.

TNFα, uma citocina que causa inflamação, foi significativamente elevada entre os usuários de cigarros eletrônicos. Em contraste, as taxas de citocinas IL-4 e IL-1β foram menores entre os usuários de cigarros eletrônicos; A IL-4 tende a ser reduzida em pessoas com doenças gengivais e aumenta após o tratamento, o que sugere que certas bactérias na boca dos usuários de cigarros eletrônicos podem estar suprimindo ativamente as respostas imunes.

Os pesquisadores concluíram que o microbioma oral distinto dos usuários de cigarros eletrônicos provoca respostas imunes alteradas, que, juntamente com marcadores clínicos para doenças das gengivas, ilustram como o vaping apresenta seu próprio desafio à saúde bucal.

“O uso de cigarros eletrônicos é um hábito humano relativamente novo”, disse Scott Thomas, pesquisador assistente do laboratório de Saxena e coautor do estudo. “Ao contrário do tabagismo, que tem sido estudado extensivamente por décadas, sabemos pouco sobre as consequências para a saúde do uso de cigarros eletrônicos e estamos apenas começando a entender como o microbioma único promovido pelo vaping afeta a saúde e a doença bucal.”

Saiba mais

+ CPF do remetente deverá constar nas encomendas enviadas pelos Correios
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Astrônomos chegam a consenso sobre a idade do universo
+ Fã ‘faz diagnóstico’ de hérnia em Rafa Kalimann, que confirma
+ Corpo de responsável por câmeras de clube onde petista foi assassinado é encontrado no Paraná
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Veja objetos, símbolos e amuletos que atraem riqueza
+ Anitta conta o que a levou a fazer tatuagem no ânus
+ Ancestral humano desconhecido deixou pegadas estranhas na África


bactéria