Circunferência da cintura é risco maior para doença coronariana do que massa corporal

Pesquisa mostrou que a presença de doença arterial coronariana era significativamente maior nas mulheres com excesso de peso concentrado na circunferência abdominal

Um novo estudo reforçou algo que já vinha sendo apontado por outras pesquisas e que já figura nas recomendações médicas. A circunferência da cintura é risco maior para o desenvolvimento de doença arterial coronariana do que a massa corporal.

Segundo os pesquisadores, a obesidade é um fator de risco para o desenvolvimento de doença arterial coronariana, já que o excesso de peso causa resistência à insulina e aterosclerose coronária, entre outros problemas. A obesidade também geralmente é acompanhada por outros fatores de risco, como hipertensão e diabetes.

Porém, de acordo com os cientistas, poucos estudos se debruçaram na comparação dos efeitos negativos para o coração da obesidade em geral com a obesidade concentrada na cintura.

Esse novo estudo avaliou cerca de 700 mulheres coreanas, e o resultado foi que a presença de doença arterial coronariana era significativamente maior nas mulheres com excesso de peso concentrado na circunferência abdominal. Nenhuma diferença significativa foi encontrada em mulheres baseando-se somente no índice de massa corporal, indicando que a obesidade de forma geral não foi um fator de risco para a doença arterial coronariana obstrutiva.

Os resultados são especialmente relevantes para as mulheres que já passaram pela menopausa, porque o declínio dos hormônios muda a distribuição de gordura no corpo, especialmente na área abdominal.