Com quase 50 casos confirmados, ebola se espalha no oeste do Congo

OMS diz que surto de ebola ainda ativo é motivo de grande preocupação; doença apresenta alto índice de letalidade

Funcionário de laboratório com nível de biossegurança 4 trabalha com o vírus ebola: doença segue representando uma ameaça temível. Crédito: United States Army Medical Research Institute of Infectious Diseases/Wikimedia

O ebola está se espalhando no oeste da República Democrática do Congo e já soma quase 50 casos conhecidos em uma vasta região que faz fronteira com a República do Congo e a República Centro-Africana, alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nessa segunda-feira (13).

Desde que as autoridades anunciaram o surto, no dia 1º de junho, 48 casos foram confirmados na província de Equateur. Existem mais três casos prováveis, além de um total de 20 mortes, disse o maior especialistas em emergências da OMS, Mike Ryan.

“Este ainda é um surto muito ativo, e eu diria que ainda é uma grande preocupação”, disse Ryan em entrevista coletiva.

LEIA TAMBÉM: Ebola mata menina congolesa em Uganda; surto se aproxima de 3 mil casos

Área ampla

A província inclui parte do rio Congo, disse ele. Ryan acrescentou que se trata de uma área geográfica ampla, onde as comunidades estão ligadas e as pessoas viajam grandes distâncias.

“Eu alertaria qualquer um que, embora os números do ebola sejam baixos, na era da covid-19 é muito importante não desviarmos os olhos dessas doenças emergentes. Vimos no Kivu do Norte e em surtos anteriores de ebola que eles podem sair de controle muito facilmente.”

Ryan se referia a outro surto de ebola nas províncias de Ituri e Kivu do Norte, no leste do Congo, que foi considerado encerrado no mês passado. Aquela epidemia, a segunda maior já registrada, provocou 3.463 casos confirmados e prováveis e 2.277 mortes ao longo de dois anos.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança