Cometa que cruza o Sistema Solar pode ser visto no céu até agosto

Cometa Neowise é visível a olho nu, mas quem usar binóculos poderá observar imagens bem mais impressionantes

O Neowise (à esquerda) corta o céu antes do nascer do Sol nesta foto tirada da ISS. Crédito: Nasa, ISS

Depois de contornar o Sol em 3 de julho e agora rumar para a parte externa do Sistema Solar, o cometa Neowise (C/2020 F3) está ficando mais brilhante no céu antes do amanhecer. Na órbita baixa da Terra, ele também nasce antes do Sol nesta foto da Estação Espacial Internacional (ISS) de 5 de julho. Ele foi capturado à esquerda, acima do brilho que se aproxima ao longo do horizonte oriental.

Vênus, agora a estrela da manhã da Terra, é o brilhante farol celeste à direita no campo de visão da foto. Acima de Vênus, é possível ver as estrelas irmãs do aglomerado de Plêiades.

O cometa foi descoberto em março pelo telescópio espacial infravermelho Neowise, da Nasa. Segundo os astrônomos, o corpo celeste tem cerca de 5 quilômetros de diâmetro. Seu núcleo é coberto com uma fuligem que remonta a 4,6 bilhões de anos atrás, época da origem do Sistema Solar.

LEIA TAMBÉM: Hubble flagra fragmentação do cometa ATLAS

O Neowise estará visível em todo o mundo até meados de agosto. Ele pode ser acompanhado a olho nu em céus escuros com pouca ou nenhuma poluição luminosa. Mas, segundo a Nasa, quem estiver munido de binóculos poderá visualizar imagens bem mais impressionantes do visitante, como sua cauda.

Bob Behnken, o astronauta da Nasa a bordo da ISS que compartilhou nas redes sociais a foto do cometa mostrada aqui, tuitou: “Estrelas, cidades, naves espaciais e um cometa!”

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança