• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Featured17/02/2022

Como aplicativos de seu smartphone podem revelar sua identidade

Crédito: Universidade de Lancaster

17/02/22 - 11h46min

O tempo que uma pessoa gasta em diferentes aplicativos de smartphone é suficiente para identificá-la em um grupo maior em mais de um em cada três casos, dizem pesquisadores, que alertam para as implicações para segurança e privacidade. O artigo sobre o estudo foi publicado na revista Psychological Science.

Os psicólogos drª Heather Shaw, professor Paul Taylor e professora Stacey Conchie, da Universidade de Lancaster (Reino Unido), e dr. David Ellis, da Universidade de Bath (Reino Unido) analisaram dados de smartphones de 780 pessoas. Eles alimentaram 4.680 dias de dados de uso de aplicativos em modelos estatísticos. Cada um desses dias foi emparelhado com um dos 780 usuários, de modo que os modelos aprenderam os padrões de uso diário de aplicativos das pessoas.

Os pesquisadores então testaram se os modelos podiam identificar um indivíduo quando recebiam apenas um único dia de atividade do smartphone, que era anônimo e ainda não emparelhado com um usuário.

Previsão razoável

Ellis disse: “Nossos modelos, que foram treinados em apenas seis dias de dados de uso de aplicativos por pessoa, puderam identificar a pessoa correta a partir de um dia de dados anônimos em um terço das vezes”.

Isso pode não parecer muito, mas quando os modelos fizeram uma previsão sobre a quem os dados pertenciam, eles também forneceram uma lista dos candidatos mais ou menos prováveis. Foi possível visualizar os 10 indivíduos mais prováveis ​​aos quais um determinado dia de dados pertencia. Em cerca de 75% das vezes, o usuário correto estaria entre os 10 candidatos mais prováveis.

O professor Taylor acrescentou: “Em termos práticos, uma investigação policial buscando identificar o novo telefone de um criminoso a partir do conhecimento de seu histórico de uso do telefone poderia reduzir um grupo de candidatos de aproximadamente 1.000 telefones para 10 telefones, com um risco de 25% de perdê-lo”.

Consequentemente, os pesquisadores alertam que conectar-se ao software que concede acesso ao registro de atividades padrão de um smartphone pode fornecer uma previsão razoável sobre a identidade de um usuário, mesmo quando ele estiver desconectado de sua conta. Uma identificação é possível sem monitoramento de conversas ou comportamentos dentro dos próprios aplicativos.

Oportunidades e riscos

A drª Shaw afirmou: “Descobrimos que as pessoas exibiam padrões consistentes em seus comportamentos de uso de aplicativos no dia a dia, como usar mais o Facebook e menos o aplicativo de calculadora. Em apoio a isso, também mostramos que dois dias de dados de smartphones da mesma pessoa exibiram maior semelhança nos padrões de uso de aplicativos do que dois dias de dados de pessoas diferentes”.

Portanto, é importante reconhecer que apenas os dados de uso do aplicativo, que geralmente são coletados automaticamente por um smartphone, podem revelar a identidade de uma pessoa.

Ao mesmo tempo que oferece novas oportunidades para a aplicação da lei, o uso do aparelho também apresenta riscos à privacidade se esse tipo de dados for mal utilizado.

Saiba mais

+ CPF do remetente deverá constar nas encomendas enviadas pelos Correios
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Astrônomos chegam a consenso sobre a idade do universo
+ Fã ‘faz diagnóstico’ de hérnia em Rafa Kalimann, que confirma
+ Corpo de responsável por câmeras de clube onde petista foi assassinado é encontrado no Paraná
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Veja objetos, símbolos e amuletos que atraem riqueza
+ Anitta conta o que a levou a fazer tatuagem no ânus
+ Ancestral humano desconhecido deixou pegadas estranhas na África


aplicativo