Como pegadas de dinossauro estão em teto de caverna? Enigma resolvido

Explicação sobre pegadas em caverna australiana passa por um molde guardado no armário de uma casa em Sydney

Pegadas de dinossauro visíveis no teto de caverna em Mount Morgan: explicação inusitada. Crédito: Anthony Romilio

O mistério em torno das pegadas de dinossauro no teto de uma caverna em Queensland (Austrália) foi resolvido depois de mais de meio século, conforme relatado em artigo publicado na revista “Historical Biology”.

Anthony Romilio, paleontologista da Universidade de Queensland, descobriu peças de um quebra-cabeça de décadas em um lugar incomum: um armário sob as escadas de uma casa suburbana de Sydney.

“A cidade de Mount Morgan, perto de Rockhampton, tem centenas de pegadas fósseis e a maior diversidade de pegadas de dinossauros de toda a metade oriental da Austrália”, disse Romilio.

LEIA TAMBÉM: Doença encontrada em cauda de dinossauro afeta humanos até hoje

“Os exames anteriores das pegadas do teto sugeriram um comportamento muito curioso dos dinossauros: que um terópode carnívoro andava sobre quatro pernas”, prosseguiu ele. “Você não acha que o Tyrannosaurus rex usava seus braços para andar, e não esperávamos que um de seus parentes predadores anteriores de 200 milhões de anos atrás o fizesse.”

Material detalhado

Os pesquisadores queriam determinar se esse dinossauro se movia usando os pés e os braços, mas acharam difícil acessar o material de pesquisa.

“Durante uma década, o sítio de Mount Morgan foi fechado, e as fotografias publicadas dos anos 1950 não mostram todas as cinco pegadas”, disse Romilio.

No entanto, Romilio teve uma chance de se encontrar com o dentista local Roslyn Dick, cujo pai encontrou muitos fósseis de dinossauros ao longo dos anos.

“Tenho certeza de que Anthony não acreditava em mim até eu mencionar o nome do meu pai – Ross Staines”, disse Dick. “Nosso pai era geólogo e informou sobre as cavernas de Mount Morgan que continham as pegadas de dinossauros em 1954.”

“Além do relato publicado, ele tinha fotografias de alta resolução e cadernos detalhados, e minhas irmãs e eu tínhamos guardado tudo”, continuou Dick. “Até temos o molde de gesso da pegada de dinossauro armazenada no armário Harry Potter da minha irmã em Sydney.”

Sedimento de lago

Romilio disse que a riqueza e as condições das ‘informações sobre dinossauros’ arquivadas por Dick e suas irmãs Heather Skinner e Janice Millar foram surpreendentes. “Digitalizei as fotos analógicas e fiz um modelo 3D virtual da pegada de dinossauro e deixei o material de volta aos cuidados da família”, disse ele. “Em combinação com a nossa compreensão atual dos dinossauros, [esse material] contou uma história bastante clara.”

A equipe concluiu primeiramente que todas as cinco pegadas eram impressões de pés – e que nenhuma era impressão de mão de dinossauro.

Além disso, os dedos abertos e o dedo médio moderadamente longo das pegadas se assemelhavam a pegadas de dinossauros herbívoros de duas pernas, diferindo das impressões feitas pelos terópodes.

“Em vez de um dinossauro andando sobre quatro patas, parece que conseguimos dois dinossauros pelo preço de um – ambos herbívoros que andavam sobre dois pés ao longo da costa de um lago antigo”, disse Romilio.

“As pegadas que revestiam o teto da caverna não eram feitas por dinossauros pendurados de cabeça para baixo; os dinossauros caminhavam no sedimento do lago e essas impressões estavam cobertas de areia”, ele acrescentou. “Nas cavernas de Mount Morgan, o sedimento mais macio do lago foi corroído e deixou o arenito mais duro dentro.”

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança