Compartilhamento de scooters elétricos é sucesso em São Paulo

Toda ajuda sustentável e flexível para se deslocar na megalópole é bem-vinda, por isso não surpreende que a nova opção esteja sendo superaproveitada

Nova opção de deslocamento rápido e sem emissões de CO2 em São Paulo

Depois do compartilhamento de bikes e patinetes motorizadas, scooters elétricos ganharam as ruas da capital paulista e já alcançaram muito mais interesse do que se esperava. Afinal, toda ajuda sustentável e flexível para se deslocar na megalópole é sempre bem-vinda.

A empresa Riba Brasil colocou à disposição dos moradores de uma área nobre de São Paulo 40 unidades em meados de dezembro, por meio do Riba Share. Em pouco mais de um mês já conquistou 5 mil usuários e atingiu suas metas previstas para três meses de operação, segundo revelou o CEO Fernando Freiras para o Blog da Infomoto.

A utilização tem sido para curtas distâncias, na maioria 5 a 6 km, por até 30 minutos. O mínimo cobrado é 10 minutos, a R$ 5,40, e depois disso R$ 0,54 por minuto a mais. As baterias são monitoradas 24×7 pela empresa e só estão disponíveis enquanto estiverem com até 20% de carga.

Tudo funciona por meio do aplicativo, que exige do usuário carteira de habilitação categoria A (específica para moto), uma ficha cadastral e número de cartão de crédito. Elas podem rodar por toda a cidade, mas a retirada e a devolução estão restritas a alguns bairros. Não há estações, as scooters ficam estacionadas nas áreas próprias para motos. Os scooters não têm ignição, é o próprio app que dá partida e já destrava o baú onde há um capacete e toucas higiênicas, para quem não tiver equipamento próprio.

Aplicativo da Riba Share oferece o compartilhamento de scooters elétricos em São Paulo

A empresa já planeja expandir a quantidade de veículos disponível e sua área de atuação dentro de São Paulo – e também para outras cidades. No primeiro semestre deve passar a 200 unidades e até o fim do ano, deve chegar a 1.000. Em breve a Riba Share quer estar em Brasília, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

 

 

blog comments powered by Disqus