Confira imagens de redemoinho de poeira em cratera de Marte

Ocorrência de fenômeno está relacionada à proximidade do verão na cratera Gale, onde está o rover Curiosity, da Nasa

Um dos redemoinhos de poeira captados pelas câmeras do Curiosity: o evento de 9 de agosto foi tão impressionante que aparecia claramente mesmo nas imagens brutas (veja mais abaixo). Crédito: Nasa/JPL-Caltech/SSI

Marte costuma ser um lugar muito dinâmico devido à sua atmosfera e como ela interage com a superfície. No momento, a cratera Gale, onde está o rover Curiosity, da Nasa, vive a “estação dos ventos”. Isso significa um aumento da atividade eólica na superfície. Em sóis recentes, os cientistas da Nasa tiraram imagens das mesmas ondulações de superfície em vários sóis. Conseguiram, assim, ver as ondulações que se movem de sol para sol, devido ao vento impulsionando os grãos de areia que constituem as ondulações – e isso informa a direção dominante e a força do vento.

É quase verão na cratera Gale, um período de forte aquecimento da superfície que vai do início da primavera até meados do verão. O aquecimento mais forte da superfície tende a produzir convecção e vórtices convectivos mais fortes, que consistem em ventos rápidos chicoteando os núcleos de baixa pressão. Se esses vórtices forem fortes o suficiente, podem levantar poeira da superfície e se tornarem visíveis como dust devils (redemoinhos de poeira) às câmeras do Curiosity.

LEIA TAMBÉM: Marte estava coberto por mantos de gelo no passado, em vez de rios

Imagens impressionantes

O GIF animado abaixo mostra um filme do redemoinho feito com a câmera Navcam do Curiosity no Sol 2847, cobrindo um período de cerca de cinco minutos. Frequentemente, as imagens têm de ser processadas, aprimorando-se o que mudou entre elas, para que os redemoinhos apareçam claramente. Mas esse redemoinho de poeira era tão impressionante que mesmo nas imagens brutas era possível vê-lo se movendo para a direita, na fronteira entre as encostas mais claras e mais escuras.

O rover Curiosity avistou este redemoinho de poeira com uma de suas câmeras de navegação por volta das 11h35, horário local de Marte, em 9 de agosto de 2020 (o 2.847º dia marciano, ou sol, da missão). Os quadros neste GIF foram filmados durante 4 minutos e 15 segundos. Esse redemoinho parece estar passando por pequenas colinas logo acima da localização atual do Curiosity, no Monte Sharp. O redemoinho está entre 0,5 km e 1 km de distância e tem cerca de 5 metros de largura. A altura da pluma de poeira é estimada em pelo menos 50 metros de altura. O contraste foi modificado para tornar as alterações quadro a quadro mais fáceis de ver. Crédito: Nasa/JPL-Caltech/SSI
Mais informações

O Curiosity está reunindo mais informações sobre os redemoinhos de poeira: como onde eles se iniciam, como evoluem e sua variedade em termos de tamanho, conteúdo e duração. Observar a velocidade com que estão se movendo e em que direção também nos informa sobre a velocidade e a direção do vento de fundo em sua localização. Medições meteorológicas ajudarão, no caso de um vórtice chegar próximo o suficiente da sonda, a investigar sua queda de pressão, o impacto nas temperaturas locais ou mesmo a radiação ultravioleta, se estiver empoeirado o suficiente para bloquear parcialmente a luz solar. A combinação de imagens com outras observações poderá dizer mais aos cientistas sobre o tamanho e o conteúdo de poeira de um redemoinho de poeira e a que distância ele está.

Também estão sendo feitos filmes de nuvens e medições de quanta poeira aparece acima da sonda Curiosity e através da cratera. As medições ajudarão os cientistas a rastrear a atividade regional de poeira em Marte que foi vista da superfície e em órbita nos sóis recentes.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança