Confira o fascinante show da aurora boreal vista do espaço

Astronautas fotografaram fenômeno sobre áreas do Canadá em 2017

Aurora sobre o Canadá, em foto de 15 de setembro de 2017: espetáculo deslumbrante. Crédito: Expedição 53, ISS/Nasa

Testemunhar a aurora boreal é uma experiência encantadora. Também conhecidas como “luzes do norte”, essas fitas coloridas de luz parecem dançar no céu sobre as altas latitudes setentrionais do planeta, atraindo caçadores do céu e fotógrafos. Elas têm correspondência nos extremos meridionais da Terra, mas dessas auroras se fala menos, uma vez que tais regiões não são habitadas.

As auroras também chamam a atenção dos astronautas. Aproveitando-se de sua posição única na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), eles já tiraram várias fotos das luzes do norte e do sul, como conta o site Earth Observatory, da Nasa.

O astronauta Randy “Komrade” Bresnik tirou a fotografia acima em 15 de setembro de 2017. Na ocasião, a ISS passava sobre a província de Ontário, no Canadá. “Cortinas” verdes – a cor mais familiar das auroras – dominam o show de luzes, com toques de roxo e vermelho.

Interações

As luzes são o resultado de interações entre as emissões solares e o campo magnético da Terra. A cor específica depende do gás atmosférico e da quantidade de energia envolvida. Por exemplo, irrupções de luz verde ocorrem depois que átomos de oxigênio são energizados por colisões com elétrons em movimento rápido.

Outras fontes de luz também são visíveis, incluindo cidades em alta latitude que pontilham a paisagem abaixo. E olhando a distância em direção ao arco da Terra, pode-se ver a camada de airglow – a luz emitida por reações químicas causadas pela luz solar na atmosfera superior. Finalmente, o brilho branco-azulado perto do horizonte é o nascer do sol que se aproxima – um dos 16 amanheceres visíveis da estação espacial a cada dia.

Cerca de uma semana depois que Bresnik fez a imagem no topo da página, os astronautas capturaram outra exibição de aurora sobre o Canadá. Ela é apresentada no vídeo abaixo. O vídeo é um lapso de tempo, compilado a partir de quase mil imagens estáticas filmadas em um período de 15 minutos em 28 de setembro de 2017. A estação espacial estava passando sobre o noroeste dos Estados Unidos em direção ao sudeste na época.

Visão dos astronautas

“As imagens de lapso de tempo que conseguimos obter das auroras são simplesmente fascinantes de assistir”, disse Will Stefanov, cientista do programa ISS para observações da Terra no Centro Espacial Johnson da Nasa. “É incrivelmente lindo poder ver esse processo, como a aurora muda e se move como uma coisa viva. E sabendo disso durante esse período específico de tempo, você está praticamente vendo o que a tripulação viu em órbita.”

O site Earth Observatory proporciona aos interessados mais informações sobre as fotografias de astronautas na série de vídeos Picturing Earth: parte 1, Astronaut Photography in Focus; parte 2, Window on the World; e parte 3, Behind the Scenes.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança