Degelo irreversível

Lançada há nove anos, a Operação IceBridge, da Nasa, a agência espacial americana, não traz boas notícias sobre a situação do gelo na Antártida: a camada de gelo da parte ocidental do continente pode estar em declínio irreversível

Derretimento de gelo na Antártida Ocidental: ameaça palpável (Foto: Mario Tama/Getty Images/AFP)

Lançada há nove anos, a Operação IceBridge, da Nasa, a agência espacial americana, não traz boas notícias sobre a situação do gelo na Antártida. Atualmente avaliando por uma série de sobrevoos o quadro na parte ocidental do continente (em especial nos mares de Bellingshausen e Weddell e nas geleiras da parte sul da Península Antártica), os pesquisadores do programa alertam que a camada de gelo da região pode estar em declínio irreversível. Esse fato contribui diretamente para o aumento do nível do mar. Segundo o National Climate Assessment, estudo produzido a cada quatro anos por cientistas de 13 agências federais do governo americano e divulgado em novembro, o aumento da temperatura global nos últimos 115 anos foi causado principalmente por “atividades humanas, especialmente emissões de gases de efeito estufa”.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança