• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Arqueologia13/05/2022

Degelo revela flechas preservadas ainda com penas na Noruega

Ponta da flecha de 1.500 anos achada nos dos Montes Jotunheimen: descongelada com água morna. Crédito: Espen Finstad/secretsoftheice.com

13/05/22 - 11h39min

O aquecimento global tem trazido diversos infortúnios para populações da Terra, mas alguns de seus efeitos estão sendo apreciados por alguns.

É o caso dos arqueólogos que estudam regiões geladas: o derretimento do gelo está pondo à mostra segredos inestimáveis do passado.

Uma das mais recentes descobertas nesse sentido foi revelada pelo programa Secrets of the Ice, da Noruega, e divulgada pelo site IFLScience: o degelo ali permitiu aos pesquisadores encontrar várias flechas incrivelmente bem preservadas.

As flechas foram achadas ao redor de áreas cobertas de gelo dos Montes Jotunheimen, no sul da Noruega, durante uma expedição da equipe do Secrets of the Ice realizada em 2019.

Entre as descobertas está uma flecha da Idade do Ferro, de aproximadamente 1.500 anos, que estava alojada no solo gelado antes de ser descongelada com água morna. Os pesquisadores ficaram espantados com a peça, que ainda conservava sua ponta de flecha de ferro pontiaguda e, mais notável ainda, uma pena.


+ ‘Comecei a me achar bonito’, diz Cauã Reymond sobre fazer terapia
+ Imposto de renda: faltam duas semanas, veja o que não pode faltar na declaração
+ 10 receitas de macarronadas fáceis e rápidas ideias para o almoço de domingo

Recuo do gelo

Uma flecha típica da época dos vikings (793-1066 d.C.) já havia sido encontrada na mesma área, em 2013, e pensava-se que era a única peça do gênero guardada ali. Entre 2013 e 2019, porém, o gelo recuou cerca de 100 metros, deixando à mostra mais objetos de interesse arqueológico.

Entre eles os pesquisadores de 2019 destacaram mais sete flechas, uma das quais, com 4 mil anos de idade, foi localizada em uma lagoa de água derretida. Outra, datada de 600 d.C. aproximadamente, tinha uma ponta de chifre.

Os pesquisadores compartilharam recentemente no Facebook os resultados de sua pesquisa de 2019, com grande sucesso. “Planejamos retornar ao local com um levantamento sistemático em larga escala adequado”, escreveu a equipe do Secrets of the Ice no Facebook. “As oito flechas recuperadas do local, com apenas uma pesquisa limitada, nos dizem que deve haver mais flechas aqui esperando para serem descobertas. (...) Houve muito pouca neve neste inverno na área onde o local está localizado, então as condições para o derretimento do gelo e a pesquisa arqueológica podem se tornar excelentes neste outono. Como sempre, as temperaturas do verão decidirão.”

Podem-se esperar outras descobertas valiosas. No ano passado, por exemplo, os arqueólogos noruegueses encontraram na região um par de esquis datado de cerca de 1.300 anos atrás em excelente estado de preservação. Eles ainda apresentavam suas fixações de bétula e uma pulseira de couro.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

aquecimento global