Descoberto buraco negro mais voraz do universo

Cerca de 8 mil vezes maior que o buraco negro no centro da Via Láctea, o J2157 devora o equivalente a um pouco menos de um Sol por dia

Concepção artística de um buraco negro: o J2157 tem 34 milhões de vezes a massa do nosso Sol. Crédito: Nasa/JPL-Caltech

Uma nova pesquisa liderada pela Universidade Nacional da Austrália (ANU) determinou quão massivo é o buraco negro que mais cresce no universo e quanto ele come. Ele tem 34 bilhões de vezes a massa do Sol e empanturra-se com quase o equivalente a um Sol por dia, de acordo com o dr. Christopher Onken e seus colegas.

“A massa do buraco negro também é cerca de 8 mil vezes maior que o buraco negro no centro da Via Láctea”, disse Onken. “Se o buraco negro da Via Láctea [Sagitário A*] quisesse aumentar essa gordura, teria de engolir dois terços de todas as estrelas da nossa galáxia.”

Denominado J2157, esse buraco negro gigante foi descoberto pela mesma equipe de pesquisa em 2018. O estudo atual foi publicado na revista “Monthly Notices of the Royal Astronomical Society”.

LEIA TAMBÉM: Buraco negro no centro da Via Láctea está ingerindo matéria como nunca

“Estamos vendo isso em uma época em que o universo tinha apenas 1,2 bilhão de anos, menos de 10% da sua idade atual”, disse Onken. “É o maior buraco negro que foi pesado nesse período inicial do universo.”

Medição precisa

Exatamente como os buracos negros cresceram tanto na infância do universo ainda é um mistério, mas a equipe agora está procurando mais buracos negros na esperança de que eles possam fornecer algumas pistas.

“Sabíamos que estávamos em um buraco negro muito grande quando percebemos sua rápida taxa de crescimento”, disse o dr. Fuyan Bian, astrônomo do Observatório Europeu do Sul (ESO) e membro da equipe.

“Quanto os buracos negros podem engolir depende de quanta massa eles já têm”, acrescentou Bian. “Então, para que esse devore a matéria a uma taxa tão alta, pensamos que poderia se tornar um novo recordista. E agora sabemos.”

A equipe, que incluiu pesquisadores da Universidade do Arizona (EUA), usou o Very Large Telescope do ESO no Chile para medir com precisão a massa do buraco negro.

“Com um buraco negro tão gigantesco, também estamos empolgados em ver o que podemos aprender sobre a galáxia em que ele está crescendo”, disse Onken. “Essa galáxia é um dos colossos do universo primitivo ou o buraco negro acabou de engolir uma quantidade extraordinária de seu entorno? Teremos de continuar escavando para descobrir isso.”

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança