Descobertos 59 sarcófagos da era faraônica com múmias no Egito

Caixões encontrados em Saqqara estão bem preservados

Vista parcial do sítio de Saqqara, com a famosa pirâmide em degraus de Djoser ao fundo: muitos sarcófagos ainda estão ocultos na área, segundo Khaled al-Anany. Crédito: Sailko/Wikimedia

Khaled al-Anany, ministro do Turismo e Antiguidades do Egito, anunciou no sábado (3 de outubro) que a missão egípcia que opera na área de Saqqara encontrou pelo menos 59 sarcófagos da era faraônica bem preservados, com múmias em seu interior. Ele fez o anúncio durante uma coletiva de imprensa sobre as novas descobertas arqueológicas em Saqqara, sítio 30 quilômetros ao sul da capital, Cairo.

“Considero que este é o início de uma grande descoberta”, disse el-Anany na coletiva. Ele acrescentou que há um número desconhecido de sarcófagos ainda não descobertos na mesma área. Os sarcófagos encontrados foram expostos na ocasião e um deles foi aberto aos repórteres para mostrar a múmia em seu interior.

Segundo Mostafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, estudos iniciais mostram que os caixões decorados foram feitos para sacerdotes, altos funcionários e elites do Período Faraônico Tardio (664 a.C.-525 a.C.). Ele afirmou na coletiva que as missões egípcias que operam nas diversas áreas arqueológicas do país africano têm obtido sucessos múltiplos nos últimos quatro anos.

LEIA TAMBÉM: Rosto de múmia egípcia reconstituído é muito parecido com retrato

Exposição futura

Waziri lembrou que quando as obras começaram em Saqqara, no início de agosto, foi encontrado um poço de 11 metros de profundidade com 13 caixões em ótimo estado pertencentes a sacerdotes da 26ª dinastia, fechados há 2.500 anos. E no trabalho anterior da missão, vários gatos mumificados haviam sido descobertos durante a limpeza de destroços, ao lado de animais como um mangusto.

El-Anany afirmou que os sarcófagos de Saqqara se juntarão a 30 sarcófagos de madeira antigos que foram descobertos em outubro em Luxor, no sul. O material será exibidos no novo Grande Museu Egípcio, que o Egito está construindo perto das pirâmides de Gizé.

A descoberta dos sarcófagos de Saqqara é a maior desde que o depósito de al-Asasif foi encontrado, em outubro de 2019. O planalto de Saqqara abriga pelo menos 11 pirâmides, além de centenas de tumbas de antigos oficiais e outros sítios que vão da 1ª Dinastia (2920 a.C.-2770 a.C.) ao período copta (395 d.C.-642 d.C.). Saqqara faz parte da necrópole da antiga capital do Egito, Mênfis, que inclui as pirâmides de Gizé, bem como pirâmides menores em Abu Sir, Dahshur e Abu Ruwaysh.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança