Dinossauro trocava dentes a cada dois meses, revelam cientistas

Majungassauro, que viveu há 70 milhões de anos, produzia novos dentes em ritmo até 13 vezes mais rápido do que outros dinossauros carnívoros

Concepção artística de majungassauros perseguindo presas: troca rapidíssima de dentes. Crédito: ABelov2014/Wikimedia

O Majungasaurus, espécie de dinossauro carnívoro que viveu em Madagascar cerca de 70 milhões de anos atrás, substituía todos os dentes a cada dois meses, segundo um novo estudo, surpreendendo até os pesquisadores. A pesquisa aparece em artigo publicado na revista “PLoS ONE“.

De acordo com o principal autor do artigo, Michael D’Emic, professor da Adelphi University e da Stony Brook University (EUA), o majungassauro produzia novos dentes cerca de duas a 13 vezes mais rapidamente do que os outros dinossauros carnívoros. Com isso, ele formava um novo dente em cada cavidade a cada dois meses.

“Isso significava que eles estavam desgastando os dentes de forma rápida, possivelmente porque estavam roendo os ossos”, afirma D’Emic. “Há evidências independentes disso na forma de arranhões e sulcos que correspondem ao espaçamento e ao tamanho dos dentes em uma variedade de ossos – ossos de animais que teriam sido suas presas.”

LEIA TAMBÉM: Dinossauros do Polo Sul tinham penas para se proteger do frio

Hoje, alguns animais também roem ossos, explica D’Emic. É uma maneira de ingerir certos nutrientes. Isso requer dentes excepcionalmente fortes – o que não era o caso do majungassauro.

Surpresas

Segundo D’Emic, o crescimento rápido dos dentes coloca o majungassauro na mesma categoria dos tubarões e dos grandes dinossauros herbívoros.

Embora pelo menos algumas centenas de espécies de dinossauros carnívoros vagassem pela Terra, os pesquisadores analisaram as taxas de substituição de dentes em apenas meia dúzia delas, diz D’Emic. Ele também analisou padrões de substituição de dentes em dinossauros herbívoros.

“Espero que este projeto mais recente estimule mais pessoas a estudar outras espécies. Aposto que isso revelará novas surpresas”, diz ele. “E espero que isso leve a uma melhor compreensão de como os dinossauros evoluíram para serem bem-sucedidos por tanto tempo.”

O estudo recente, vale lembrar, examinou também duas espécies adicionais de dinossauros predadores (Allosaurus e Ceratosaurus), oferecendo uma oportunidade para considerar os padrões de crescimento dos dentes em escala mais ampla.