Empresas verdes

Algodão pró-ambiente

A C&A planeja chegar a 2020 com 100% de peças produzidas com algodão mais sustentável (Foto: Divulgação)

A rede multinacional de moda C&A atingiu em julho a marca de 40% de peças produzidas com algodão mais sustentável, um avanço de 14,4 pontos percentuais em relação a 2016. A meta da empresa é ter, até 2020, 100% das peças produzidas com esse tipo de algodão. O progresso tem sido obtido por meio de uma forte articulação de toda a rede de fornecimento, a partir do produtor da fibra, passando pela tecelagem e confecção. O esforço, além de oferecer ao consumidor um produto ambientalmente mais correto, reduz bastante a pegada hídrica da empresa – de 2015 para 2016, por exemplo, a queda foi de 29%.

 

Hortas em hotéis

As hortaliças vão para os restaurantes e os colaboradores da rede (Foto: Divulgação)

A rede AccorHotels está transformando as áreas livres de seus hotéis em espaços para hortas. A iniciativa é parte de um dos pilares do projeto de sustentabilidade da empresa, o Planet 21, incentivando o cultivo e consumo de alimentos orgânicos, saudáveis e produzidos localmente. Atualmente, a empresa já possui 115 hortas na América do Sul, das quais 100 estão no Brasil. Os hotéis Novotel, Mercure e Adagio Aparthotel possuem 44 hortas, o que representa 38% do total na região. Além de serem utilizadas nos refeitórios e nos restaurantes, as hortaliças são doadas aos colaboradores, a fim de que eles tenham uma alimentação mais saudável. A AccorHotels pretende ter no mundo mil hortas até 2020.

 

Madeira plástica reciclável

A criação da Braskem: totalmente reciclável (Foto: Divulgação)

O Centro de Tecnologia e Inovação da petroquímica brasileira Braskem, em Triunfo (RS) e a empresa Perfiltec desenvolveram uma “madeira plástica”, compósito de PVC com pó de MDF (tipo de chapa de madeira) que oferece diversas vantagens para construção civil, mercado automotivo e agrícola, como alta durabilidade, maior leveza e condição 100% reciclável. Suas outras vantagens incluem: maior durabilidade e resistência mecânica, menor peso, baixa absorção de água, imunização contra pragas e material antichamas. Antes desse aproveitamento, o pó de MDF era desperdiçado no meio ambiente ou incinerado, um processo com custos elevados.

 

Cuidados com a Amazônia

Agroextrativismo sustentável será fortalecido com o projeto (Foto: Divulgação)

A empresa de cosméticos Natura e a Fundação Banco do Brasil assinaram em agosto uma parceria para fortalecer o uso de produtos e serviços da sociobiodiversidade da Amazônia, a partir do apoio a projetos nas áreas de inovação, pesquisa e produção sustentável, atendendo diretamente às comunidades agroextrativistas locais. O primeiro projeto atenderá mais de 200 famílias de quatro comunidades da região do Baixo Tocantins (PA), contribuindo para a capacitação técnica das cooperativas e a adoção de tecnologias sociais adaptadas à agricultura familiar e ao agroextrativismo sustentável. A Fundação Banco do Brasil fará o investimento inicial, de R$ 190 mil, enquanto um setor da Natura fornecerá capacitações e assistência técnica para essas famílias.

 

Testemunho de sustentabilidade

Jardim da Weleda na Alemanha: local de visita (Foto: Divulgação)

A Weleda, empresa internacional de cosméticos naturais e orgânicos e medicamentos antroposóficos, lançou em agosto a campanha Global Garden. A iniciativa levará candidatos (com idade mínima de 18 anos) dos 18 países nos quais a companhia opera a uma competição cujo vencedor passará de março a junho de 2018 visitando diferentes Weledas no mundo (incluindo seus famosos jardins) para conhecer a forma sustentável como seus produtos são elaborados e fabricados. No caso brasileiro, os seis concorrentes mais votados pelo público serão avaliados pela Weleda do Brasil, que escolherá o finalista regional em 12 de setembro. O processo final de seleção será na Alemanha, de 9 a 13 de outubro. Os interessados obterão mais informações no endereço weledaglobalgarden.com/bra.

 

Coleta escolar

Embalagens longa vida: mais de 2 toneladas recolhidas nas escolas do projeto (Foto: Divulgação)

Até o fim de julho, as 19 escolas paulistanas integrantes do projeto Coleta Seletiva nas Escolas, parceria da Tetra Pak com o Instituto Reinventar, já haviam coletado mais de 2 toneladas de embalagens longa vida, fazendo o descarte correto do material. A ação, iniciada em abril nas regiões de Interlagos e São Mateus, promove a inserção de temas ambientais em matérias tradicionais, a introdução da coleta seletiva nas instituições selecionadas e a capacitação de alunos, professores e equipe administrativa para o recolhimento de materiais recicláveis. Dividido em oito passos, o projeto é desenvolvido durante 12 meses. O cronograma passa pelas áreas de planejamento, diagnóstico e início da coleta seletiva. As escolas contempladas estão coletando, até outubro, caixinhas da Tetra Pak e fazendo doações para cooperativas da região. Espera-se atingir 20 toneladas de embalagens coletadas nos bairros cobertos pelo projeto.

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus