Empresas Verdes

Em defesa dos mananciais

Viveiro da SOS Mata Atlântica: mudas para o reflorestamento da capital paulista (Foto: Divulgação)

A Coca-Cola Brasil e a Coca-Cola FEMSA Brasil iniciaram em setembro a doação de 600 mil mudas de árvores nativas da Mata Atlântica para plantio destinado à cidade de São Paulo durante os próximos quatro anos. A ação, que faz parte do projeto Geração +Verde, da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), procura contribuir para preservar os mananciais que fazem parte da bacia hidrográfica que abastece a capital paulista. A Fundação SOS Mata Atlântica é a responsável pelas diversas etapas do reflorestamento, como a seleção e aquisição de mudas em viveiros, plantio e vistorias em locais estratégicos. Metade das mudas será plantada na capital, em áreas de represas, parques, praças, ou doada para o viveiro Harry Blossfeld, localizado na região de Cotia, mas administrado pela SVMA. As outras 300 mil serão plantadas na região de mananciais e de nascentes de rios que abastecem a metrópole.

 

Areia ecológica

A Pedreira Lageado, na zona leste de São Paulo, adquiriu a tecnologia para a produção da chamada areia industrial ou do futuro, a partir de um agregado gerado pela trituração (britagem) de rochas. Alternativa à areia natural, hoje sob risco de extinção, a areia industrial, já utilizada em larga escala na Europa e nos Estados Unidos, tem várias aplicações no desenvolvimento urbano, como no concreto, na argamassa ou no asfalto. A empresa também recompõe toda sua Área de Preservação Permanente, plantando mudas de árvores nativas criadas em viveiro próprio no entorno do trecho explorado, e utiliza água captada e armazenada no período chuvoso.

 

Conscientizar para conservar

Cena do filme da campanha: escolhas de consumo têm impacto ambiental (Foto: Divulgação)

A Tetra Pak patrocina a primeira campanha de comunicação da ONG de promoção do manejo florestal sustentável FSC Brasil, “Florestas para Todos para Sempre”. A principal peça é um filme de 60 segundos exibido até novembro no canal Discovery, no qual o ator Elam Lima caminha pela floresta falando sobre o selo FSC, seu significado e sua importância, enquanto o cenário revela produtos florestais de vários tipos, criando um contraste entre a natureza e os artigos manufaturados. A ideia é mostrar que a floresta está presente no cotidiano e que as escolhas diárias de consumo têm impacto ambiental. A FSC certifica hoje quase 200 milhões de hectares de florestas no mundo, dos quais mais de 7 milhões no Brasil. A campanha é a primeira do FSC no mundo neutra em carbono.

 

Destinação correta

A rede Carrefour começou a expandir em outubro seu programa de coleta de lâmpadas fluorescentes para a maioria de seus supermercados e hipermercados no Brasil. Parceria com a Reciclus, associação sem fins lucrativos formada por produtores e importadores de lâmpadas, o programa, implantado em fevereiro, permite a reciclagem dos componentes das lâmpadas, aproveitáveis em produtos como cimento e asfalto. O Carrefour é o varejista pioneiro na coleta de lâmpadas fluorescentes no país, e atualmente 24 de suas unidades já contam com postos de coleta desse material em São Paulo, Paraná e Distrito Federal. Já foram coletadas no programa mais de 11.400 lâmpadas. Haverá coletores em 26 lojas situadas no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Goiás, Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Amazonas.

 

Preservação mais barata

O programa aumenta a efetividade do reflorestamento (Foto: Divulgação)

Criado em 2011, o Programa Preserva, da CPFL Energia, agrupa em unidades de conservação selecionadas os termos de compromisso de recuperação ambiental firmados pela empresa no licenciamento de seus projetos. Desde 2012, a CPFL plantou mais de 134 mil mudas em unidades de conservação paulistas e tem cuidado do manejo e da preservação de 482 hectares de floresta. A nova metodologia amplia a efetividade ambiental do reflorestamento e reduz o custo por hectare em 50% ante o conceito anterior, o qual gerava fragmentos florestais nos municípios da área de concessão das distribuidoras do grupo. A CPFL já aplicou R$ 6,3 milhões no programa.

 

Estímulo ao tratamento do câncer

Em outubro, mês da campanha Outubro Rosa (relativa à prevenção e ao diagnóstico precoce do câncer de mama), a Azul Linhas Aéreas ampliou sua relação de oito anos com essa iniciativa. Em parceria com o Hospital de Amor (Hospital de Câncer de Barretos), a empresa começou a apoiar diretamente o tratamento de 30 mulheres da região de Petrolina (PE) com câncer de mama, provendo transporte aéreo para o hospital da instituição ou parceiro quando houver a realização de cirurgia, por meio do projeto Conexão Azul Rosa. A região foi escolhida porque o hospital parceiro mais próximo fica em Salvador, a mais de 530 km dali. Desde 2007, foram feitas em Petrolina mais de 128 mil mamografias, com diagnóstico de câncer em 652 casos. A empresa planeja ampliar o projeto a partir de 2018 para mais regiões que precisem de transporte aéreo.