Empresas verdes

Combate à poluição paulistana

Ar sujo paulistano: alvo da parceria Siemens-prefeitura (Foto: FabioIm)

A multinacional alemã Siemens assinou em março um termo de cooperação com a prefeitura de São Paulo voltado para o desenvolvimento de iniciativas, estudos e planos estratégicos destinados a reduzir a emissão de poluentes na capital paulista. Para essa iniciativa, a empresa vai disponibilizar sua Ferramenta de Desempenho da Cidade (City Performance Tool – CyPT), um sistema inteligente de análise de dados que ajuda os administradores municipais a identificar áreas prioritárias em que devem investir com o objetivo de tornarem suas cidades mais sustentáveis, sobretudo no que se refere à redução da emissão de dióxido de carbono (CO2), óxidos de nitrogênio (NOx) e materiais particulados. Presente em capitais como Copenhague e Madri, o CyPT permite, por meio da análise de dados de outras cidades, a aplicação de melhores práticas e lições aprendidas.

 

Desafio do plástico

A anglo-holandesa Unilever convocou em janeiro outras indústrias de bens de consumo a unir-se para enfrentar o desafio dos resíduos plásticos nos oceanos e desenvolver uma economia circular para o material. Hoje, apenas 14% das embalagens plásticas são coletadas para reciclagem no mundo. Diante disso, a empresa sugere a adoção de quatro iniciativas-chave para possibilitar mudanças sistêmicas e, assim, acelerar a transição para a economia circular: 1) investir em inovação direcionada a modelos que promovam o reúso das embalagens plásticas; 2) adotar o compromisso (já assumido pela Unilever) com embalagens 100% reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis até 2025 e fixar metas para o pós-consumo; 3) criar um Protocolo Global de Plásticos com definições e padrões industriais em relação aos materiais que devem ser usados e que garanta uma infraestrutura de reciclagem economicamente viável; 4) liderar discussões com o setor público para fomentar melhorias na infraestrutura da gestão do lixo.

 

Descarte adequado

O Makro Atacadista fechou em 2017 uma parceria com a Reciclus, associação sem fins lucrativos que reúne os principais produtores e importadores de lâmpadas com o objetivo de promover o sistema de logística reversa, envolvendo toda a sociedade e a cadeia produtiva no processo e oferecendo uma destinação final ambientalmente adequada ao material descartado. Todos os clientes e colaboradores do Makro podem participar da ação, levando suas lâmpadas usadas até as lojas participantes. Já possuem coletores de lâmpadas 57 lojas do Makro, e mais 16 deverão aderir ao projeto até o fim do ano. Todas as lâmpadas recolhidas serão destinadas de forma correta para reciclagem. Espera-se que em um ano sejam coletados nas lojas participantes mais de 3 mil quilos de lâmpadas (20 mil unidades).

 

Carbono a menos no ar

Planta da Heineken em Ponta Grossa: menos CO2 (Foto: Divulgação)

A cervejaria Heineken Brasil conseguiu em 2017 reduzir em 57% as emissões de dióxido de carbono na sua cervejaria de Ponta Grossa (PR) ao pôr em operação uma caldeira de biomassa, responsável por 100% da energia térmica usada na planta. No mesmo ano a empresa lançou sua estratégia local de trabalho voltada para a promoção do consumo sustentável, cujas atividades incluem a criação de uma plataforma interna com foco no tema. Ainda em 2017, a Heineken Brasil divulgou um guia de boas práticas para o transporte de cargas, que será enriquecido este ano com um manual de aplicação.

 

Agricultura mais sustentável

A multinacional de alimentos Bunge e a organização ambiental The Nature Conservancy (TNC) concluíram no início de 2018 o projeto Caminhos Sustentáveis, que, em cinco anos de atuação, ajudou produtores rurais e governos municipais no oeste da Bahia, em Mato Grosso e no Pará a cumprir o Código Florestal, adotar práticas agrícolas mais sustentáveis e melhorar a gestão ambiental das regiões atendidas. Entre outras contribuições, o projeto entregou às prefeituras de sete municípios o mapeamento de 14,6 milhões de hectares, em uma área que abrange 25 mil imóveis rurais, e contribuiu para o registro de mais de 17 mil dessas propriedades no Cadastro Ambiental Rural (CAR), considerado o primeiro passo para a regularização ambiental. A TNC e A Bunge também entregaram para os municípios, sem custos, um portal online que reúne esses dados e ajuda a planejar o uso do território e a monitorar desmatamentos.

 

Incentivo à mobilidade

Atendimento mais ágil em urgências: tópico escolhido (Foto: iStockphotos)

O Ford Fund, braço filantrópico da Ford, e a Artemisia, organização pioneira no fomento de negócios de impacto social no Brasil, anunciaram em fevereiro os três negócios destinatários do capital semente no programa Ford Fund Lab: Inovação e Mobilidade. As startups Garatéa (agilização do atendimento em situações de urgência), Onboard Mobility (integração de diferentes modais e serviços de transporte urbano e pagamento de créditos por meio de um só aplicativo de celular) e UBRA (transporte privado na região da Brasilândia, em São Paulo) foram selecionadas como destaques do programa com base em critérios que enfatizam o propósito social da parceria, como modelo de negócio e potencial de impacto social. Lançada em junho de 2017, a iniciativa busca impulsionar o desenvolvimento de soluções inovadoras na área da mobilidade.

blog comments powered by Disqus