Empresas verdes

Energia 100% limpa

Parque eólico da Honda em Xangri-Lá: produção que cortou em mais de 50% as emissões de CO2 da filial brasileira
Parque eólico da Honda em Xangri-Lá: produção que cortou em mais de 50% as emissões de CO2 da filial brasileira

A partir de novembro, a Honda Energy do Brasil, subsidiária da Honda Automóveis do Brasil, vai suprir toda a demanda de energia elétrica do escritório da marca em São Paulo. Com 26.000 m2, o edifício abriga a sede da Honda Serviços Financeiros e as áreas ligadas às vendas de motocicletas e produtos de força. Desde novembro de 2014, o parque eólico da Honda, em Xangri-Lá (RS), fornece energia limpa para o complexo de Sumaré (SP), onde ficam a sede administrativa da marca na América do Sul, o centro de pesquisa e desenvolvimento da Honda na região e a fábrica de automóveis. Com a energia do parque eólico, a filial brasileira já reduziu mais de 50% das suas emissões de dióxido de carbono.

 

Rumo ao desmatamento zero

7_pl525_empresa2

A multinacional de alta tecnologia HP Inc. anunciou no segundo semestre o compromisso de chegar ao desmatamento zero até 2020. Com isso, todos os papéis da marca e embalagens de produtos à base de papel serão derivados de fontes certificadas e recicladas até 2020, com preferência por fibra virgem de fontes autenticadas pela ONG Forest Stewardship Council (FSC). Essa missão é uma das várias metas da companhia para 2016. Em 2015, a HP já havia atingido a meta de 50% de fibra certificada pelo FSC em produtos de papel da sua marca.

 

Pesca sustentável

Setor de pescados em uma das lojas Walmart: rastreabilidade
Setor de pescados em uma das lojas Walmart: rastreabilidade

Primeira rede de supermercados do Brasil a contar com um programa de monitoramento da cadeia de pescado no país, o Walmart já rastreia cerca de 80% do volume de pescados comercializados em suas bandeiras (Big, Bompreço, Nacional, Mercadorama, TodoDia e Walmart). O projeto, lançado no início de 2015, em parceria com a ONG Sustainable Fisheries Partnership (SFP), já conta com a participação dos 16 maiores fornecedores de pescados congelados do país. A empresa propõe-se a comercializar pescados de origem mais sustentável, contribuindo para a preservação da biodiversidade aquática e marinha, além de apoiar e promover ações que fomentem a responsabilidade social na cadeia.

 

Economia radical

Novo método vai permitir economia de 98% na água consumida
Novo método vai permitir economia de 98% na água consumida

Um novo processo criado pelo Grupo Malwee economiza, em média, 98% de água se comparado às técnicas tradicionais de produção têxtil. A novidade implica pular a etapa de tingimento, que passou a ser feito na fase seguinte, semelhante a uma estamparia. O novo sistema começou a ser usado na coleção Alto Verão 2016 da empresa, para a qual está prevista a produção de 77 modelos. A técnica se insere no Plano de Sustentabilidade 2020 da Malwee, lançado em 2015, pelo qual o grupo se propõe a direcionar suas ações para o futuro sustentável dos negócios em toda a sua cadeia de valor.

 

Junho especial

Plantio de mudas da DC: crescimento a cada ano
Plantio de mudas da DC: crescimento a cada ano

Lançado em 2010, o projeto socioambiental Plantio DC, da empresa DC Logistics Brasil, reverte todos os negócios fechados em junho (mês do meio ambiente) em mudas de árvores a serem plantadas nas dez cidades do país onde a empresa mantém escritórios. A cada edição, a iniciativa bate um novo recorde – apesar da dificuldade da empresa de encontrar espaços para o cultivo –, e na sua sétima edição, em 2016, chegou a 3.755 mudas. Desde o início, mais de 20,3 mil mudas já foram plantadas.

 

Água garantida

Estação de tratamento no Guandu: conservação da bacia
Estação de tratamento no Guandu: conservação da bacia

O projeto Bacias, pelo qual a Ambev trabalha com parceiros a recuperação e proteção de importantes bacias hidrográficas brasileiras, chegou no segundo semestre ao rio Guandu, importante para o abastecimento do Rio de Janeiro. O objetivo da ação é fortalecer e dar escala a projetos de conservação e recuperação florestal e pagamentos por serviços ambientais em áreas críticas da bacia do rio, a fim de reduzir a exposição de seus usuários aos riscos hídricos. A Ambev já tem na área a parceria da The Nature Conservancy, do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) e o apoio da Secretaria do Meio Ambiente do município de Queimados. Iniciativas semelhantes estão sendo conduzidas pela Ambev em Jaguariúna (SP), Jundiaí (SP) e Sete Lagoas (MG).

COMPARTILHAR