• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Ciência11/02/2022

Encontrada primeira evidência de infecção respiratória em dinossauro

Restauração hipotética da vida de MOR 7029, ou “Dolly”. A doença pulmonar infectando esse animal não teria sido externamente evidente, mas os prováveis sintomas externos semelhantes a pneumonia teriam incluído tosse, respiração difícil, corrimento nasal, febre e perda de peso, entre outros. Crédito: Woodruff, et al. (2022) e Corbin Rainbolt

11/02/22 - 08h43min

Os restos fossilizados de um diplodocídeo jovem – um grande dinossauro saurópode herbívoro de pescoço longo, como o brontossauro – podem fornecer a primeira evidência de uma infecção respiratória em um dinossauro, de acordo com um estudo publicado na revista Scientific Reports. As descobertas aumentam nossa compreensão das doenças que afetaram os dinossauros.

O espécime, apelidado de “Dolly”, foi descoberto no sudoeste de Montana (norte dos EUA) e remonta ao período Jurássico Superior da era Mesozoica (aproximadamente 150 milhões de anos atrás). Cary Woodruff, do Great Plains Dinosaur Museum (EUA), e seus colegas examinaram três das vértebras cervicais (os ossos do pescoço) de Dolly e identificaram saliências ósseas anormais nunca antes vistas que tinham uma forma e textura incomuns.

Essas saliências estavam localizadas em uma área de cada osso onde teriam sido penetradas por bolsas cheias de ar. Essas bolsas de ar teriam se conectado aos pulmões de Dolly e faziam parte do complexo sistema respiratório do dinossauro. A tomografia computadorizada das saliências irregulares revelou que elas eram feitas de osso anormal que provavelmente se formou em resposta a uma infecção.

Crescimento ósseo irregular

“Dados os prováveis ​​sintomas que esse animal sofreu, segurando esses ossos infectados em suas mãos, você não pode deixar de sentir pena de Dolly”, disse Woodruff. “Todos nós experimentamos esses mesmos sintomas – tosse, dificuldade para respirar, febre, etc. – e aqui está um dinossauro de 150 milhões de anos que provavelmente se sentiu tão miserável quanto todos nós quando estamos doentes.”

Com base na localização dessas saliências ósseas anormais, os pesquisadores sugerem que elas se formaram em resposta a uma infecção respiratória em Dolly, que finalmente se espalhou para essas vértebras do pescoço através das bolsas de ar e causou o crescimento ósseo irregular. Os autores especulam que essa infecção respiratória pode ter sido causada por uma infecção fúngica semelhante à aspergilose, uma doença respiratória comum que afeta aves e répteis hoje e pode levar a infecções ósseas. Além de documentar a primeira ocorrência de tal infecção respiratória em um dinossauro, essa infecção fossilizada também tem importantes implicações anatômicas para o sistema respiratório de dinossauros saurópodes.

Sintomas semelhantes a gripe ou pneumonia

“Essa infecção fóssil em Dolly não apenas nos ajuda a traçar a história evolutiva das doenças respiratórias no tempo, mas nos dá uma melhor compreensão de a quais tipos de doenças os dinossauros eram suscetíveis”, disse Woodruff.

Os pesquisadores sugerem que, se Dolly tivesse sido infectada com uma infecção respiratória semelhante à aspergilose, provavelmente apresentaria sintomas semelhantes à gripe ou à pneumonia, como perda de peso, tosse, febre e dificuldades respiratórias. Como a aspergilose pode ser fatal em aves se não for tratada, uma infecção potencialmente semelhante em Dolly poderia ter causado a morte do animal, acrescentam.

Saiba mais

+ CPF do remetente deverá constar nas encomendas enviadas pelos Correios
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Astrônomos chegam a consenso sobre a idade do universo
+ Fã ‘faz diagnóstico’ de hérnia em Rafa Kalimann, que confirma
+ Corpo de responsável por câmeras de clube onde petista foi assassinado é encontrado no Paraná
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Veja objetos, símbolos e amuletos que atraem riqueza
+ Anitta conta o que a levou a fazer tatuagem no ânus
+ Ancestral humano desconhecido deixou pegadas estranhas na África


aspergilose