Enigma verde na galáxia dos Fogos de Artifício

Cientistas tentam descobrir qual é a origem da luz verde que apareceu em algumas observações de telescópios

Galáxia dos Fogos de Artifício: luz verde pode provir de um buraco negro que devora uma estrela. Foto: Nasa/JPL-Caltech

Os raios azuis e verdes brilhantes nesta imagem da galáxia dos Fogos de Artifício (NGC 6946) mostram os locais de fontes extremamente brilhantes de raios X capturadas pelo observatório espacial NuSTAR, da Nasa. Geradas por alguns dos processos mais energéticos do universo, essas fontes são raras em comparação com as muitas fontes de luz visíveis no plano de fundo da imagem.

Um novo estudo liderado pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) e publicado no “Astrophysical Journal” explora algumas possibilidades a respeito da fonte de luz verde que aparece na parte inferior da galáxia. A NGC 6946 está a cerca de 22 milhões de anos-luz da Terra, na constelação de Cefeu.

LEIA TAMBÉM: Hubble encontra novo e misterioso buraco negro

Essa fonte não era visível durante a primeira observação do NuSTAR. Mas no início de uma segunda observação, dez dias depois, ela brilhava forte. Posteriormente, o Observatório de Raios X Chandra, da Nasa, registrou que a fonte (conhecida como fonte ultraluminosa de raios X, ou ULX) desapareceu rapidamente.

O objeto foi nomeado ULX-4 porque é o quarto ULX identificado nessa galáxia.

O novo estudo considera que a luz pode vir de um buraco negro que consome outro objeto, como uma estrela. Outra possibilidade seria uma estrela de nêutrons. Essas estrelas geram campos magnéticos tão fortes que podem criar “colunas” capazes de canalizar o material para a superfície, gerando poderosos raios X no processo.