Extinção dos mamutes decorre de mudança climática, e não de humanos caçadores, diz estudo

Extinção dos mamutes decorre de mudança climática, e não de humanos caçadores, diz estudo
Extinção dos mamutes decorre de mudança climática, e não de humanos caçadores, diz estudo (Foto: April Pethybridge/Unsplash)

A última espécie de mamutes, o mamute peludo, morreu na Ilha Wrangel, na Rússia, no Oceano Ártico, há 4.000 anos. Pensava-se que os humanos caçadores tinham sido a causa da extinção desses animais, mas, de acordo com um novo estudo publicado na quarta-feira (20) na revista Nature, a verdadeira causa foi uma mudança climática.

Em um projeto de pesquisa inovador de 10 anos, geneticistas da Universidade de Cambridge e da Universidade de Copenhague analisaram o DNA ambiental antigo e disseram ter provado que mamutes foram levados à extinção por causa do aquecimento do clima.

Segundo eles, quando o gelo recuou após a última era glacial, uma rápida transformação do clima o tornou muito úmido para sustentar o nível de vegetação que os mamutes precisavam para sobreviver.

A equipe usou uma técnica chamada “sequenciamento de DNA shotgun” para analisar restos ambientais de plantas e animais, incluindo urina, fezes e células da pele retirados de amostras de solo cuidadosamente coletadas por um período de 20 anos em locais no Ártico onde restos de mamutes foram encontrados.

Semelhante aos métodos usados ​​durante a pandemia de Covid-19 para testar esgoto para analisar a propagação do vírus, esta nova técnica significa que os cientistas não precisam mais confiar em amostras de DNA de ossos ou dentes e esperam reunir material genético suficiente para recriar um perfil de DNA antigo.

“Os cientistas discutiram por 100 anos sobre por que os mamutes foram extintos. Os humanos foram culpados porque os animais sobreviveram por milhões de anos sem que as mudanças climáticas os matassem antes, mas quando eles viveram ao lado dos humanos, eles não duraram muito e fomos acusados ​​de caçá-los até a morte”, disse o professor Eske Willerslev, do St John’s College, em Cambridge.

“Finalmente pudemos provar que não era apenas a mudança climática que era o problema, mas a velocidade com que era o prego final no caixão – eles não foram capazes de se adaptar com rapidez suficiente quando a paisagem se transformou dramaticamente e comida tornou-se escassa.”

Ele acrescentou: “À medida que o clima esquentava, árvores e plantas pantanosas assumiram e substituíram os habitats de pastagem do mamute. E devemos lembrar que havia muitos animais por aí que eram mais fáceis de caçar do que um mamute lanoso gigante – eles podiam crescer até a altura de um ônibus de dois andares.”

“A mais recente Idade do Gelo – chamada de Pleistoceno – terminou 12.000 anos atrás, quando as geleiras começaram a derreter e o alcance de roaming das manadas de mamutes diminuiu”, explicou o Dr. Yucheng Wang, principal autor do artigo e Pesquisador Associado do Departamento de Zoologia da Universidade de Cambridge.

“Pensava-se que os mamutes começaram a se extinguir, mas também descobrimos que eles realmente sobreviveram além da Idade do Gelo em diferentes regiões do Ártico e no Holoceno – a época em que vivemos atualmente – muito mais tempo do que os cientistas imaginaram”, disse.

“Ampliamos os detalhes intrincados do DNA ambiental e mapeamos a distribuição populacional desses mamíferos e mostramos como eles se tornam cada vez menores e sua diversidade genética fica cada vez menor, o que tornou ainda mais difícil para eles sobreviverem.”

“Quando o clima ficou mais úmido e o gelo começou a derreter, isso levou à formação de lagos, rios e pântanos. O ecossistema mudou e a biomassa da vegetação diminuiu e não teria sido capaz de sustentar os rebanhos de mamutes”, acrescentou. “Mostramos que a mudança climática, especificamente a precipitação, impulsiona diretamente a mudança na vegetação – os humanos não tiveram nenhum impacto sobre ela com base em nossos modelos.”

Com a atual crise climática se agravando devido às emissões antropogênicas, embora os humanos possam não ter sido os culpados no passado, já estamos contribuindo para um grande evento de extinção agora.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago